Putin defende investigação imparcial de ataque químico na Síria

Presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante coletiva de imprensa conjunta com chanceler da Alemanha, Angela Merkel, em Sochi. 02/05/2017 REUTERS/Alexander Zemlianichenko/Pool

SOCHI (Reuters) - A Rússia condena o uso de armas químicas por qualquer um e quer uma investigação completa e imparcial do ataque com gás venenoso na cidade síria de Khan Sheikhoun do mês passado, disse o presidente russo, Vladimir Putin, nesta terça-feira.

"Aqueles que forem culpados devem ser encontrados e punidos", disse Putin em uma coletiva de imprensa após encontro com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, realizado na cidade russa de Sochi, no Mar Negro. "Mas isso só pode ser feito após uma investigação imparcial".

"Uma solução na Síria só pode ser encontrada por meios pacíficos e sob a égide da ONU", disse Putin.

Falando na mesma coletiva de imprensa, Merkel, convocou todos os envolvidos no conflito da Ucrânia para trabalharem em direção do cessar-fogo estabelecido pelos tratados de Minsk, dizendo que a implementação desses acordos pode levar a retirada das sanções da União Europeia contra a Rússia.

(Reportagem de Denis Pinchuk e Alexander Winning)