Centurión gera polêmica na Argentina ao tentar subornar agente de trânsito

Buenos Aires, 19 mar (EFE).- O meia argentino Ricardo Centurión, ex-São Paulo e atualmente no Racing, protagonizou nesta segunda-feira uma nova polêmica fora dos gramados após a divulgação de um vídeo no qual o jogador se nega a fazer o teste do bafômetro e tenta subornar um agente de trânsito após ultrapassar um semáforo vermelho próximo a uma escola.

"Eu tenho para corrigir (a situação), posso cobrir o mês", diz Centurión, de 25 anos, a um oficial de Lanús, na província de Buenos Aires.

Segundo é possível ver em imagens gravadas com um celular, divulgadas através de diversos veículos de imprensa, o jogador conversou com o agente após ter sido perseguido e parado por vários oficiais.

Ao ser retido, o jogador se negou a soprar o bafômetro, por isso teve o carro rebocado. No vídeo, Centurión pergunta ao agente por que foi parado e reconhece que ultrapassou o semáforo vermelho. O agente o alerta que dois sinais foram ultrapassados.

"Não quis fazer o teste do bafômetro. Tem uma emergência médica ou ia para sua casa?", questionou o agente.

"Você se faz de engraçado. Você é maior que eu, não se faça de engraçado comigo", respondeu Centurión.

Pouco depois, o jogador propõe "corrigir" a situação, mas foi rejeitado pelo oficial, que supostamente foi quem gravou as imagens.

Em declarações recolhidas pela agência argentina de notícias "Telam", o chefe de gabinete e responsável pela área de Segurança de Lanús, Diego Kravetz, explicou que Centurión pôs em risco "a vida das crianças que atravessavam o cruzamento escolar", e que foi por isso pelo que os agentes decidiram parar o carro.

"Agora se abrirão duas vias: por um lado, os temas relacionados com as multas de trânsito em uma área de escolas, além do tema de se negar o teste do bafômetro, pontos que serão resolvidos pelo tribunal para saber se Centurión tem antecedentes em Lanús", acrescentou. Também será investigado se houve tentativa de suborno, uma vez que nesse caso ocorreria uma denúncia penal.

A carreira de Centurión é marcada por questões extracampo que vão desde fotos com armas de guerra e brigas em boates até batidas de carro e uma denúncia por violência doméstica. EFE