Putin diz a Macron que Ocidente pode usar influência para parar "atrocidades" na Ucrânia, dizem agências

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Presidente da Rússia, Vladimir Putin, em São Petersburgo
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

LONDRES (Reuters) - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, discutiu a situação na Ucrânia com seu homólogo francês, Emmanuel Macron, em um telefonema nesta terça-feira e fez um apelo para que o Ocidente coloque pressão sobre Kiev para parar as "atrocidades", disseram agências de notícias russas.

Putin disse a Macron que o Ocidente pode ajudar a parar os "crimes de guerra e o bombardeio maciço de cidades e vilas em Donbas", que levam a baixas civis.

A Rússia rejeita alegações de que tenha cometido crimes de guerra na Ucrânia e responsabiliza os que chama de nacionalistas e "neonazistas" pelas mortes de civis, afirmação rechaçada por Kiev e pelo Ocidente.

"O Ocidente pode ajudar a colocar um fim a essas atrocidades ao exercer a influência apropriada sobre as autoridades de Kiev e ao suspender o envio de armas à Ucrânia", disse o Kremlin, segundo a agência de notícias RIA.

Putin também disse a Macron que Moscou ainda está pronto para dialogar com a Ucrânia.

(Reportagem de Reuters)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos