Putin diz que ataques à rede elétrica foram uma resposta ao ataque de drone na Crimeia

O presidente russo, Vladimir Putin, em entrevista coletiva em Sochi, na Rússia. Sputnik/Sergey Bobylev

Por Pavel Polityuk

KIEV (Reuters) - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse que os ataques russos à infraestrutura ucraniana e a decisão de congelar a participação em um programa de exportação de grãos do Mar Negro foram respostas a um ataque de drones à frota de Moscou na Crimeia, que ele atribuiu à Ucrânia.

Putin disse em entrevista coletiva na segunda-feira que os drones ucranianos usaram os mesmos corredores marítimos que os navios de grãos transitavam sob o acordo mediado pela ONU.

Kiev não assumiu a responsabilidade pelo ataque e nega usar o corredor de segurança do programa de grãos para fins militares. A ONU disse que nenhum navio de grãos estava usando a rota do Mar Negro no sábado, quando a Rússia disse que seus navios na Crimeia foram atacados.

Enquanto isso, no 250º dia de uma guerra que começou desde a invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro, mísseis russos caíram em todo o país. Explosões foram registradas em Kiev, enviando fumaça preta para o céu.

As forças russas bombardearam instalações de infraestrutura em pelo menos seis regiões ucranianas na segunda-feira, segundo anunciou o Estado-Maior das Forças Armadas da Ucrânia em comunicado no Facebook.

"Isso não é tudo o que poderíamos ter feito", disse Putin na entrevista coletiva televisionada, indicando que mais ações podem acontecer.

Autoridades ucranianas disseram que a infraestrutura de energia, incluindo barragens hidrelétricas, foi atingida, interrompendo o fornecimento de energia, aquecimento e água .

Oleh Synehubov, governador da região nordeste de Kharkiv, disse no Telegram que cerca de 140.000 moradores ficaram sem energia após os ataques, incluindo cerca de 50.000 moradores da cidade de Kharkiv, a segunda maior da Ucrânia.

Os militares da Ucrânia disseram ter derrubado 44 dos 50 mísseis russos. Mas os ataques deixaram 80% de Kiev sem fornecimento de água, disseram autoridades. A polícia ucraniana disse que 13 pessoas ficaram feridas nos últimos ataques.

Nas últimas três semanas, a Rússia atacou a infraestrutura civil ucraniana usando caros mísseis de longo alcance e "drones suicidas" baratos, de fabricação iraniana que voam em direção a um alvo e se autodestroem.

O primeiro-ministro da Ucrânia, Denys Shmyhal, disse que 18 alvos, principalmente infraestrutura de energia, foram atingidos em ataques com mísseis e drones em 10 regiões ucranianas na segunda-feira.

(Reportagem das redações da Reuters)