Putin elogia "equilíbrio" da China face à Ucrânia

Rússia agradece posição "equilibrada" da China face à guerra na Ucrânia. Mensagem entregue pessoalmente por Vladimir Putin a Xi Jinping. Os dois líderes reuniram-se no Uzbequistão, à margem da cimeira da Organização de Cooperação de Xangai.

Pequim tem manifestado preocupação com o impacto da guerra na economia. O presidente russo diz compreender a apreensão chinesa nesta matéria. De acordo com a diplomacia russa, a avaliação da situação internacional em Moscovo e em Pequim "coincide totalmente".

São nove os países que formam a Organização de Cooperação de Xangai, incluindo a Índia, o Paquistão e quatro antigas repúblicas soviéticas. A aliança foi criada em 2001 e a reunião desta semana é vista como uma demonstração pública de apoio à Rússia.

O governo uzbeque, anfitrião desta cimeira está entre os apoiantes públicos de Putin. Tal como a Bielorrússia, severamente impactada pelas sanções internacionais.

À procura de um balão de oxigénio para a economia bielorrussa, o presidente Lukashenko quis também encontrar-se com o líder chinês.

A Turquia está na lista dos parceiros privilegiados de diálogo com a organiz ação. Recepp Tayyp Erdogan também conseguiu uma reunião bilateral com Xi Jinping, mas antes encontrou-se com o presidente do Azerbaijão. Em cima da mesa, o conflito de Nagorno Karabah. Com a guerra da Ucrânia, nenhum dos principais aliados dos dois países, Rússia e Turquia, parece estar interessado numa escalada do confronto entre a a Arménia e o Azerbaijão.