Putin elogia Igreja Ortodoxa Russa por apoiar tropas na Ucrânia

O presidente russo, Vladimir Putin, participa do serviço de Natal ortodoxo em Moscou

Por Andrew Osborn

(Reuters) - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, elogiou neste sábado a Igreja Ortodoxa Russa por apoiar as forças de Moscou lutando na Ucrânia em uma mensagem no Natal ortodoxo destinada a reunir as pessoas por trás de sua visão da Rússia moderna.

O Kremlin divulgou a mensagem de Putin depois que o líder russo compareceu sozinho a um culto ortodoxo na véspera de Natal dentro de uma catedral do Kremlin, em vez de se juntar a outros fiéis em uma celebração pública.

Em sua mensagem, acompanhada no site do Kremlin por uma imagem dele diante de ícones religiosos, Putin deixou claro que vê a Igreja Ortodoxa Russa como uma importante força estabilizadora para a sociedade em um momento que ele classifica como um conflito histórico entre a Rússia e o Ocidente sobre a Ucrânia e outras questões.

"É profundamente gratificante observar a enorme contribuição construtiva da Igreja Ortodoxa Russa e de outras denominações cristãs na unificação da sociedade, preservando nossa memória histórica, educando os jovens e fortalecendo a instituição da família", disse Putin.

"As organizações da Igreja priorizam ... apoiar nossos guerreiros que participam da operação militar especial (na Ucrânia). Esse trabalho maciço, complexo e verdadeiramente altruísta merece respeito sincero."

Na sexta-feira, Putin ordenou um cessar-fogo de 36 horas para as comemorações, mas Kiev o rejeitou como uma manobra de Moscou para ganhar tempo e se reagrupar, e forças russas e ucranianas trocaram tiros de artilharia após o anúncio.

Muitos cristãos ortodoxos comemoram o Natal em 7 de janeiro, mas o apoio da Igreja Ortodoxa Russa à guerra de Moscou na Ucrânia irritou muitos fiéis ortodoxos ucranianos e dividiu a Igreja Ortodoxa mundial.

(Por Andrew Osborn; reportagem adicional de David Ljunggren)