Putin espera que Rússia alcance imunidade coletiva contra a covid no segundo semestre

·1 minuto de leitura
O presidente russo Vladimir Putin faz o discurso anuanl sobre o estado da nação na Assembleia Federal, em Moscou

O presidente russo Vladimir Putin afirmou nesta quarta-feira (21) esperar que o país alcance a imunidade coletiva contra a covid-19 no outono (hemisfério norte, primavera no Brasil), ao mesmo tempo que celebrou o "avanço científico" da nação com a criação de três vacinas.

"A vacina tem hoje uma importância capital (...) para permitir que se desenvolva a imunidade coletiva no outono", declarou Putin durante seu grande discurso anual sobre o estado da nação.

O presidente da Rússia também afirmou que deseja "manter as fronteiras sob controle para frear a propagação" do vírus.

O discurso otimista de Putin acontece um dia depois das preocupações expressadas pelo prefeito de Moscou, Serguei Sobianin, que informou um agravamento da situação epidemiológica na capital russa.

Moscou registra quase 2.000 novos casos diários nos últimos dias e a Rússia entre 8.000 e 9.000 casos diários desde o início de abril.

De acordo com o instituto Gamaleya, que desenvolveu a vacina Sputnik V, 3,8 milhões de pessoas, em um país de 146 milhões de habitantes, receberam as duas doses.

Os números sobre a mortalidade divergem de acordo com as fontes: o governo reconhece 106.706 óbitos provocados pela covid-19, mas a agência estatísticas Rosstat registrou pelo menos 224.000 até o fim de fevereiro, o que deixaria a Rússia entre os países mais afetados pela pandemia.

pop/rco/pz/me/zm/fp