Putin espera visita de Xi no início de 2023 e quer aumentar cooperação militar

Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e da China, Xi Jinping, fazem videoconferência

(Reuters) - O presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta sexta-feira que espera que o presidente chinês, Xi Jinping, faça uma visita de Estado no início do próximo ano, no que seria uma demonstração pública de solidariedade de Pequim em meio à invasão russa da Ucrânia.

Em comentários introdutórios de uma videoconferência entre os dois líderes transmitida pela televisão estatal, Putin também disse que pretende fortalecer a cooperação militar com a China.

A declaração de Putin, que durou cerca de oito minutos, destacou o dramático afastamento da Rússia das potências ocidentais, que a baniram de forma econômica e política por suas ações na Ucrânia, além de armar seu oponente, para cortejar a crescente potência global China.

"Esperamos você, caro presidente, querido amigo, esperamos você na próxima primavera em uma visita de Estado a Moscou", disse Putin a Xi. "Isso demonstrará ao mundo inteiro a força dos laços russo-chineses em questões-chave".

Os comentários de Putin contrastaram com uma declaração muito mais curta de Xi, que não fez menção a uma visita a Moscou, de acordo com a tradução oficial para o russo.

Os dois homens assinaram uma parceria estratégica "sem limites" em fevereiro, em meio à desconfiança compartilhada do Ocidente, poucos dias antes de a Rússia enviar suas forças armadas à Ucrânia no que chama de "operação militar especial".

Putin disse a Xi nesta sexta-feira: "Você e eu compartilhamos as mesmas opiniões sobre as causas, o curso e a lógica da transformação em andamento da paisagem geopolítica global, diante de pressões e provocações sem precedentes do Ocidente".

Até agora, Pequim teve o cuidado de não fornecer o tipo de apoio material direto para a invasão que possa provocar sanções ocidentais contra a China.

(Reportagem de Reuters)