Putin não ditará termos de paz na Ucrânia, diz chanceler alemão

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, discursa durante o Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Sabine Siebold e Balazs Koranyi

DAVOS, Suíça (Reuters) - A Rússia não vencerá a guerra na Ucrânia e o presidente russo, Vladimir Putin, não ditará os termos de nenhum acordo de paz, disse o chanceler alemão, Olaf Scholz, nesta quinta-feira.

Depois de não conseguir tomar a capital da Ucrânia, Kiev, ou sua segunda cidade, Kharkiv, na guerra de três meses, as forças russas estão tentando assumir o controle total da região de Donbas, no leste, e também avançaram no sul apesar da forte resistência ucraniana e das duras sanções ocidentais sobre Moscou.

"Putin não vencerá sua guerra, e estou convencido de que ele não vencerá", disse Scholz em um discurso no Fórum Econômico Mundial no resort suíço de Davos. "A captura de toda a Ucrânia parece mais distante agora do que no início da guerra."

Embora alguns tenham sugerido que a Ucrânia deveria negociar com Putin e considerar ceder território, Scholz rejeitou a ideia de deixar Putin ditar os termos de um acordo.

"Não haverá paz ditada", acrescentou Scholz. "A Ucrânia não aceitará isso, e nós também não."

Putin provavelmente só negociará seriamente quando aceitar que a guerra não pode ser vencida, tornando essencial o apoio ocidental contínuo à Ucrânia, disse ele.

Scholz, no entanto, não abordou as demandas ucranianas para a entrega de mais armas pesadas a Kiev, apesar dos pedidos do ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, em Davos na quarta-feira.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos