Putin não participará pessoalmente da cúpula do G20 em Bali

Presidente da Rússia Vladimir Putin

Por Ananda Teresia

JACARTA (Reuters) - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, não participará pessoalmente de uma reunião de líderes do Grupo dos 20 (G20) na próxima semana, mas pode participar virtualmente, disseram autoridades da Rússia e do país anfitrião, a Indonésia, nesta quinta-feira.

A Indonésia resistiu à pressão de países ocidentais para retirar seu convite a Putin e expulsar a Rússia do grupo por causa da guerra na Ucrânia, dizendo que não tem autoridade para fazê-lo sem consenso entre os membros.

Putin pode participar por videoconferência, embora "o formato de (sua) participação esteja sendo elaborado", informou a agência de notícias estatal russa RIA, citando um diplomata da embaixada russa na Indonésia.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, representará Putin na reunião na ilha de Bali, disseram autoridades.

O presidente indonésio, Joko Widodo, vinha tentando mediar entre as potências globais antes do que será a primeira reunião de líderes do grupo desde que a Rússia invadiu a Ucrânia no que Putin chama de "operação militar especial".

"(O presidente) tentou garantir que todos se acalmassem e isso parece estar acontecendo agora", disse Luhut Pandjaitan, ministro coordenador de Assuntos Marítimos e de Investimento, a repórteres em Bali.

O presidente afirmou ao Financial Times nesta semana que a Rússia é bem-vinda na cúpula, que ele teme que seja ofuscada por um aumento "muito preocupante" nas tensões internacionais.

"O G20 não pretende ser um fórum político. É sobre economia e desenvolvimento", disse ele.

A Indonésia também convidou o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, que disse que não participará se Putin o fizer e deve participar virtualmente.