Putin prorroga embargo a produtos alimentícios do Ocidente até o fim de 2020

(Arquivo) O presidente russo, Vladimir Putin

O presidente russo, Vladimir Putin, prorrogou nesta segunda-feira até o fim de 2020 o embargo sobre os produtos alimentícios ocidentais em vigor desde 2014, como represália às sanções impostas a Moscou pela crise ucraniana.

O decreto, assinado nesta segunda-feira por Putin, prolonga até 31 de dezembro de 2020 a proibição de importar para a Rússia produtos alimentares procedentes principalmente da União Europeia.

Essas medidas, tomadas em agosto de 2014, se aplicam à maioria de produtos alimentícios procedentes dos países que sancionam a Rússia pela anexação da península ucraniana da Crimeia, em março desse mesmo ano, e seu apoio aos separatistas do leste da Ucrânia.

Desde então, este embargo foi renovado em quatro ocasiões.

Na quinta-feira, os 28 dirigentes da UE concordaram em estender por um ano sanções econômicas contra a Rússia.

As sanções ocidentais decretadas contra Moscou, junto com a queda dos preços dos hidrocarbonetos, afundaram a Rússia em sua recessão mais longa desde a chegada de Vladimir Putin ao Kremlin em 2000.