Chefe da ONU viajará à Rússia e Ucrânia na semana que vem

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, fala durante uma entrevista coletiva na sede das Nações Unidas em Nova York em 22 de fevereiro de 2022 (AFP/ANGELA WEISS) (ANGELA WEISS)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, viajará para a Rússia na próxima semana, onde será recebido por Vladimir Putin, e depois visitará Kiev para reunir-se com o presidente Volodimir Zelensky, anunciou o órgão nesta sexta-feira (22).

"Na terça-feira, 26 de abril, o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, chegará a Moscou para conversar com o chanceler russo, Serguei Lavrov. Ele também será recebido pelo presidente Vladimir Putin", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

A ONU confirmou mais tarde a visita, que será o primeiro encontro entre Guterres e Putin desde o início da invasão russa da Ucrânia, em 24 de fevereiro, que deixou milhares de mortos e mais de 12 milhões de deslocados e exilados.

Depois de Moscou, o secretário-geral visitará a Ucrânia, onde "se encontrará com o ministro das Relações Exteriores, Dmitro Kuleba, e será recebido por Volodimir Zelensky em 28 de abril", informou a ONU em comunicado.

Guterres também espera se reunir com equipes da agência da ONU no terreno "para discutir o aumento da ajuda humanitária aos ucranianos", acrescentou.

Na terça-feira, Guterres enviou cartas aos presidentes Putin e Zelensky com pedidos para ser recebido em Moscou e Kiev. Mais cedo naquele dia, ele havia pedido aos dois lados uma "pausa humanitária" de quatro dias durante a Páscoa ortodoxa.

A ONU está claramente alheia a esta crise desde que Moscou enviou tropas para a Ucrânia em 24 de fevereiro passado. O órgão teve apenas uma conversa por telefone com Zelensky em 26 de fevereiro desde então.

Putin não falou por telefone com Guterres, nem teve qualquer contato com o secretário-geral da ONU desde que ele alegou que a Rússia violou a Carta da ONU ao enviar tropas para a Ucrânia.

bur/sg/me/eg/gf

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos