Qatar ou Catar? Leia mais sobre a grafia do país que sedia a Copa do Mundo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Começa neste domingo a Copa do Mundo do... Qatar? Catar? Gatar?

À espera do início das partidas, torcedores e comentaristas estão tentando decidir como escrever e pronunciar o nome do país que sedia o evento, realizado de 20 de novembro a 18 de dezembro. Alguns, como é o caso desta Folha de S.Paulo, optam pela grafia Qatar com Q de "quibe". Outros preferem Catar com C de "coalhada". Há também quem diga a palavra em voz alta com um G de "grão-de-bico". Mas quem é que está certo?

De certa maneira, todos estão certos e errados. Essas grafias são tentativas de transliteração –ou seja, de adaptar letras de um alfabeto a um outro. Como há um bocado de letras e sons em árabe que não têm nenhum equivalente no português, esse processo é bem árduo.

No caso do país que sedia a Copa, o grande problema está na primeira letra. O nome começa com um som que os linguistas chamam de "oclusiva uvular surda". É como se fosse um Q de "queijo", só que produzido mais atrás na garganta, com mais força. No alfabeto fonético, esse som é representado pelo Q mesmo. Por isso a grafia mais técnica é essa: Qatar. É inclusive o que recomenda o Manual de Redação da Folha de S.Paulo, na página 251. O Q tem essa vantagem de diferenciar um som mais gutural do C que a gente usa em português em palavras como "cabelo" e "carro". Mas isso não quer dizer que Catar está errado. É apenas uma outra solução para um problema que é sempre insolúvel.

Quem está interessado em aprender a pronúncia do nome em árabe vai precisar se esforçar um pouquinho mais. O Q não é o único desafio. O T da segunda sílaba de Qatar é também mais enfático do que o do português. De novo, o som sai mais do fundo da garganta, com mais esforço. Já o R é mais fácil, porque parece o da palavra em português "cantar". A sílaba tônica é a primeira. Ou seja: QAtar e não qaTAR.

Só isso? Não. Até agora, este Orientalíssimo blog estava tratando da pronúncia da palavra Qatar no árabe padrão. Só que, no dialeto do próprio Qatar, o nome é dito de outro jeito. O Q vira G e o A pende ao I. Ou seja, fica parecido com Gatar ou Guitar. É complicado mesmo. Quem estiver curioso pode dar uma olhada no vídeo abaixo, que explica – infelizmente, só em inglês – essas variações de pronúncia.