Québec relata primeira morte no Canadá após vacina da AstraZeneca

·1 minuto de leitura
Frascos rotulados como de vacina da AstraZeneca contra Covid-19 em frente ao logo da empresa em foto de ilustração

MONTRÉAL (Reuters) - A província de Québec registrou nesta terça-feira a primeira morte de uma paciente canadense que teve um problema raro de coagulação depois de receber a vacina contra Covid-19 da AstraZeneca.

O Canadá registrou ao menos cinco casos de coágulos sanguíneos após imunizações com a vacina, mas autoridades de saúde pública insistem que os benefícios do imunizante da AstraZeneca superam os riscos em potencial.

O diretor de saúde pública de Québec, Horacio Arruda, disse a repórteres que a morte da mulher de 54 anos por trombose não mudará a estratégia de vacinação da província.

Já o ministro da Saúde de Québec, Christian Dubé, disse que a província já vacinou cerca de 400 mil pessoas com a vacina da AstraZeneca.

"É um risco calculado, mas evidentemente pensamos nesta mulher, em sua família, seus entes próximos... é duro", disse o premiê de Québec, François Legault.

Enfrentando uma terceira onda do vírus, várias províncias canadenses, inclusive a mais populosa do país, Ontario, começaram recentemente a oferecer a vacina da AstraZeneca a pessoas de 40 anos ou mais.

Québec, onde os casos de coronavírus recuaram ultimamente, permite que a vacina seja administrada a pessoas de 45 anos ou mais.

(Por Allison Lampert, em Montréal; Reportagem adicional de Steve Scherer, em Ottawa)