Com fuzis e metralhadoras, quadrilha ataca três bancos e promove terror em Mococa (SP)

·2 minuto de leitura
  • Quadrilha armada causou terror ao atacar três agências de Mococa, no interior paulista

  • Ainda não se sabe quanto dinheiro foi levado, mas ação se deu horas antes de agências abrirem para o pagamento de trabalhadores

  • Segundo o prefeito, um guarda civil ficou ferido, mas não corre risco de vida

Uma quadrilha armada atacou agências bancárias em Mococa, município paulista de menos de 70 mil habitantes, nas primeiras horas desta quarta-feira (07). Os criminosos utilizaram explosivos e atiraram em lojas, causando terror ao fugir depois da ação. Até às 7h, nenhum deles havia sido preso. As informações são da TV Globo. 

Moradores da cidade que fica a 265 quilômetros da capital paulista relatam tiros e homens armados andando pela cidade. Há também, de acordo com a emissora, muitas munições nas vias públicas. 

Leia também

Segundo a TV Globo, bandidos estariam se locomovendo pela cidade em uma espécie de comboio, deixando claro a preparação prévia para o ataque. 

Três agências atacadas em dias de pagamento

Quadrilha armada causou terror ao atacar três agências de Mococa, no interior paulista - Foto: Reprodução/TV Globo
Quadrilha armada causou terror ao atacar três agências de Mococa, no interior paulista - Foto: Reprodução/TV Globo

Ao menos três agências foram atacadas, de acordo com o prefeito Eduardo Barison (PSD). Não há informações até o momento sobre o valor que teria sido levado pelos criminosos, que portavam fuzis e metralhadoras. Barison lembra que a ação se deu exatamente no dia de pagamento dos trabalhadores da cidade.

Não houve confronto entre policiais e criminosos. Segundo a emissora, a quadrilha teria fugido em direção ao Sul de Minas por uma estrada vicinal. O prefeito reforçou o pedido para a população ficar em casa, afim de manter a segurança momentos depois da ação. 

Segundo o prefeito, um guarda civil ficou feriado ao ser atingido por estilhaços, após os bandidos terem disparados contra um posto policial durante a fuga. Ele não corre risco de vida. 

Um inquérito será instaurado para apurar a ação violenta. a Polícia Federal deve conduzir a investigação.