Quadrilha bloqueia ruas, faz reféns e troca tiros com a polícia durante assalto a banco em Criciúma

·3 minuto de leitura
Criminosos promovem caos durante assaltado a banco em Criciuma (SC) - Foto: Reprodução/Redes Sociais
Criminosos promovem caos durante assaltado a banco em Criciuma (SC) - Foto: Reprodução/Redes Sociais

As ruas de Criciúma, em Santa Catarina, foram palco de terror nas primeiras horas desta terça-feira (01). Uma quadrilha realizou uma megaoperação para assaltar um banco no centro da cidade. O grupo fortemente armado provocou incêndios, bloqueou acessos à cidades, trocou tiros com a polícia e até usou reféns como escudos. As informações são da TV Globo.

De acordo com a Polícia Civil, 30 criminosos teriam participado da ação coordenada. Até as 7h da manhã desta terça, nenhum suspeito havia sido preso. Um policial militar e um vigilante ficaram feridos.

Veja vídeos da ação que promoveu terror no centro de Criciúma (SC)

A emissora ouviu morados que relatam terem ouvido os primeiros tiros por volta da meia noite. O ataque durou mais de uma hora. A Prefeitura pediu ajuda de batalhões de municípios vizinhos na tentativa de conter a ação criminosa. Na fuga, os criminosos deixaram parte do dinheiro pelo caminho. Moradores da cidade saíram às ruas para recolher parte das cédulas.

Para retardar as ações de combate da polícia, os suspeitos já haviam preparados bloqueios em diversos pontos da cidade. Segundo a PM, o grupo incendiou um túnel que dá acesso a cidade, atacou o Batalhão da Polícia e ateou fogo a carros.

Criminosos promovem caos durante assaltado a banco em Criciuma (SC) - Foto: Reprodução/Redes Sociais
Criminosos promovem caos durante assaltado a banco em Criciuma (SC) - Foto: Reprodução/Redes Sociais

Ainda não se sabe a quantidade de dinheiro que foi roubado. Durante a fuga dos criminosos, parte das cédulas roubadas foi abandonada no local.

De acordo com a TV Globo, peritos já atuavam por volta das 2h30 da manhã na averiguação de uma suspeita de abandono de materiais explosivos. O combate entre polícia e criminosos deixou diversas cápsulas de munição espalhadas pelo centro da cidade.

Nas redes sociais, há imagens dos reféns amarrados e enfileirados no meio da rua, servindo como escudo. Clésio Sálvado (PSDB), prefeito da cidade, garantiu que os reféns foram liberados sem ferimentos. Segundo o prefeito, eles eram funcionários de Criciúma que pintavam faixas de trânsito no local.

Durante a madrugada, Salvaro usou as redes sociais para orientar os moradores a permanecerem em casa.

"A cidade neste momento tá sitiada. São criminosos aí muito bem preparados. Certamente vieram de outros estados da federação. Recomenda-se que você fique em casa", disse.

Quadrilha especializada

De acordo com a TV Globo, agentes de cidades vizinhas como Tubarão, Içara e Aranguá foram convocados para dar apoio aos policiais de Criciúma.

"Uma quadrilha do crime organizado, que é especializada em assalto a banco. A gente chama de modalidade 'novo cangaço'. Eles fazem assaltos simultâneos, atacam quarteis, como atacaram no batalhão também", afirmou o tenente-coronel Cristian Dimitri Andrade, do 9ª Batalhão da Polícia Militar (9º BPM).

O Batalhão de Operações Especiais (Bope) e o Choque da PM da capital Florianópolis também foram acionados para colaborar.

O prefeito diz que os criminosos fugiram em um comboio que teria entre oito e dez veículos.

Vivemos uma experiência que certamente não sairá tão fácil da cabeça do povo criciumense, lamentavelmente de uma forma muito negativa”, lamento o prefeito.