Quadrilha roubava celulares para acessar contas bancárias e ostentava veículos de luxo

ALFREDO HENRIQUE
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Cinco homens e duas mulheres foram presos na manhã desta quarta-feira (4), suspeitos de integrar uma quadrilha especializada em desbloquear e acessar aplicativos de bancos em celulares roubados ou furtados na capital paulista. A forma como as contas eram invadidas não foram informadas pela polícia até a publicação desta reportagem. Cerca de 30 policiais do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) cumpriram 21 mandados de busca e apreensão na capital paulista, durante os quais investigadores apreenderam motos, máquinas para falsificar cartões bancários, além de carros de luxo dos suspeitos. Entre os veículos, há um Porsche Boxster, modelo 2020, avaliado em R$ 380.215 segundo a tabela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisa Econômicas) As apurações da 6ª Delegacia do Patrimônio, especializada em investigações sobre facções criminosas, começaram em janeiro deste ano e apuraram um esquema em que os criminosos roubavam ou furtavam celulares na região central de São Paulo, posteriormente encaminhados a receptadores. "Na próxima etapa [os suspeitos] desbloqueavam os equipamentos. Assim tinham acesso aos aplicativos, principalmente de contas de banco. No final, realizavam transações bancárias das contas das vítimas", diz trecho de nota do Deic. As quantias movimentadas não foram informadas. A Delegacia também acrescentou por meio da nota que, os suspeitos pelos roubos e furtos, os compradores dos aparelhos e quem os desbloqueia compõem uma organização criminosa. Os sete presos foram indiciados por roubo, receptação e associação criminosa. Mais de 140 celulares foram roubados por dia entre janeiro e setembro deste ano, ao menos 39.667 celulares somente no estado de São Paulo, representando 144 casos diários, considerando o período. Os dados são da SSP (Secretaria da Segurança Pública), gestão João Doria (PSDB). No mesmo período do ano passado, foram 49.349 roubos de celular, representando 180 casos diários. Comparando os roubos de aparelhos registrados nos nove primeiros meses deste ano com o mesmo período do ano anterior, houve uma queda de 19,6% neste tipo de assalto no estado.