Quaresma: para os cristãos, tempo de jejum e oração

Foto: Vinoth Chandar/ Flickr

Quaresma é o período entre o carnaval e a Páscoa. O termo vem da expressão latina “quadragesima dies” – quadragésimo dia. Quarenta, na Bíblia, é um número simbólico: representa momentos importantes de experiência de fé tanto da comunidade judaica quanto da cristã.

A interpretação atual é de que não se trata de um número exato, evidentemente. Quarenta dias seria sempre um período de duração significativa para uma comunidade. Assim, foram quarenta dias que Noé ficou na arca, durante o dilúvio, com a família e os animais. Depois da cheia, foram outros quarenta dias até a embarcação tocar terra firme.

Moisés também ficou quarenta dias no monte Sinai para receber a Lei Sagrada. O povo judeu levou quarenta anos para viajar do Egito para a Terra prometida. E foram quarenta anos de paz que Israel viveu sob os Juízes.

Elias, o profeta, demorou quarenta dias para chegar até o monte Horeb. Os moradores de Nínive fizeram quarenta dias de penitência para receberem o perdão divino. Os três primeiros reis de Israel, Saul, Davi e Salomão, tiveram cada um quarenta anos de reinado.

E as referencias prosseguem no Novo Testamento. Jesus foi levado por Maria e José ao templo quarenta dias após o nascimento. Antes de iniciar sua vida pública, Jesus também ficou quarenta dias em retiro no deserto.

Para os católicos, a quaresma vai da Quarta-Feira de Cinzas até a missa da Quinta-Feira Santa. É tempo de penitência, de oração e de conversão.

“Trata-se de um número que exprime o tempo da expectativa, da purificação, do regresso ao Senhor e da consciência de que Deus é fiel às suas promessas”, definiu o papa Bento 16, em 2012.

De acordo com as normas do Direito Canônico da Igreja Católica, todos os fiéis têm obrigação de fazer penitência no período. A prescrição orienta que os católicos se dediquem à oração e a obras de piedade de caridade. Também é solicitado que observem o jejum e a abstinência.

São seis os domingos do chamado Tempo da Quaresma. Na liturgia católica, são chamados respectivamente de 1º, 2º, 3º, 4º, 5º e Domingo de Ramos da Paixão.

A cor utilizada nos ritos do período é o roxo – com exceção 4º domingo, quando é permitido o uso do rosa; e do Domingo de Ramos, quando as vestes são vermelhas.