Quarto novo: veja dicas para reformar o cômodo com autonomia e sem gastar muito

Letycia Cardoso
·3 minuto de leitura

A quarentena estimulou o desejo de mudar o ambiente doméstico para deixá-lo mais funcional e fiel à identidade do morador. Mesmo quartos pequenos podem ser reformados para ganhar cara nova sem gastar muito dinheiro.

A arquiteta Maisa Santos, do escritório MAIS.Arqurb, explica que existem diversas intervenções que podem ser aplicadas isoladas ou em combinação para a remodelação de um quarto, por exemplo a troca de roupas de cama; combinações de almofadas e elementos soltos; inserção de vegetações e vasos em diferentes tamanhos, alturas e formatos; tapetes e objetos decorativos; e até uma pintura que possa mudar totalmente a cenografia de um ambiente.

— Essa pintura pode ser feita por um profissional ou até mesmo pela pessoa. Ela pode escolher entre técnicas de pinturas geométricas com tonalidades diversas, pintura de um canto ou região específica do ambiente, pintura do teto, ou usar uma tinta que oferece o efeito de cimento queimado e tem fácil aplicação — sugeriu.

O integrante do time de "caçadores de ofertas" do "Qual oferta", plataforma dos jornais EXTRA, O Globo e Expresso que reúne, no impresso e no digital, as melhores promoções de supermercados, drogarias e lojas de departamento de Rio e Grande Rio, Gilberto Carneiro, de 52 anos, conta que arrumou o quarto com pequenos ajustes. O ponto chave da reforma foi a pintura das paredes com uma tinha que já tinha em casa:

— Pintei o quarto, arrumei o armário, tirando tudo que não estava sendo utilizado, colocando coisas que estavam guardadas para uso, trocando as capas das almofadas e fazendo uma arrumação que me ajudasse a encontrar tudo que eu tenho de forma mais rápida. As roupas que não cabiam mais, ou eu doei ou coloquei à venda em sites de 'desapego'. Joguei papéis que não eram mais necessários no lixo, doei vários livros que já tinha lido e que não tinha interesse em relê-los. Com isso, ganhei mais espaço, sem ser necessário fazer mais armários.

Vivian Marcelle, também integrante do time de "caçadores de ofertas" do "Qual oferta", usou, além de tinta, papel de parede para repaginar o quarto da filha devido à praticidade. Para mudar o chão, utilizou uma técnica na qual a instalação do piso é feita sobre o outro sem quebrar nada.

— Foi prático e sem sujeira! Gastei R$125 com o piso e R$139 com a tinta. A decoração, eu vou comprar na praça de Vigário Geral, onde é mais barato! — diz Vivian.

Caso a troca do mobiliário seja uma opção, o consumidor deve estar atento às dimensões e à ergonomia, a fim de ter conforto. A arquiteta Maisa Santos ainda revela alguns truques para a escolha:

— Para dar impressão de um quarto mais espaçoso, é válido apostar num guarda-roupas com espelho nas portas; a mesa de escrivaninha em L colada na cama é uma forma de aproveitar um espaço vazio para atender a uma demanda extra, como local de trabalho ou estudo. Já um mobiliário que tenha iluminação embutida traz conforto ao uso.

Equipamentos esportivos e instrumentos musicais, por exemplo, podem ser utilizados para incorporar identidade ao quarto.

Espaços vazios do quarto podem ser aproveitados para colocar escrivaninhas, mesas e penteadeiras, acrescentando mais uma função ao ambiente: trabalho, estudo ou closet. A definição de um assento, quer seja uma poltrona, puff ou cadeira, deve ser orientada pelo uso para atender com mais conforto o morador.

O consumidor deve observar as alturas ideais de mesas laterais à cama e, para otimizar o espaço, pode optar por móveis com gaveteiros ou um nicho para o pet. A mesinha pode servir de suporte para livros, plantas, abajur decorativo que irá dar um toque de personalidade ao local.

A cama pode mudar completamente a cara do quarto. Para isso, selecione um bonito jogo de lençóis e faça composições com travesseiros, almofadas e uma manta decorativa.

Sejam vasos de flores ou de plantas de grande porte, o paisagismo transforma o ambiente e proporciona harmonia.