Quarto peixe venenoso é capturado em Fernando de Noronha em um mês

·2 minuto de leitura
Peixe-leão foi capturado em Fernando de Noronha
Peixe-leão foi capturado em Fernando de Noronha (Foto: Reprodução/ SEA Paradise)
  • Mergulhadores capturaram o quarto peixe-leão em menos de um mês em Fernando de Noronha

  • A espécie é considerada pelos pesquisadores uma ameaça ao meio ambiente e aos seres humanos

  • Dos oito animais encontrados no Brasil, cinco foram localizados no arquipélago

Mergulhadores capturaram, no último sábado (28), o quarto peixe-leão em menos de um mês em Fernando de Noronha. A espécie, invasora e venenosa, é considerada pelos pesquisadores uma ameaça ao meio ambiente e aos seres humanos.

Em entrevista ao portal G1, o instrutor de mergulho Fernando Rodrigues explicou ter localizado o animal em um ponto de mergulho chamado Laje Dois Irmãos, em uma profundidade de 20 metros.

Leia também:

"Eu estava com guia de um mergulho e vi o peixe-leão. Como eu já fiz o treinamento do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio), estava habilitado para recolher o animal. Depois que os mergulhadores retornaram ao barco, fiz um novo mergulho e realizei a captura", contou Fernando Rodrigues ao portal G1.

O mergulhador disse que congelou o animal encontrado e vai entregar a espécie ao ICMBio. O instituto indicou que apenas profissionais capacitados ou servidores do instituto podem fazer a captura do peixe-leão.

Na ilha, também houve uma captura desse peixe, que tem nome científico Pterois volitans, em dezembro de 2020. A segunda vez que foi encontrado foi no dia 3 de agosto numa profundidade de 32 metros, esse foi o primeiro registro em 2021.

O terceiro peixe-leão foi capturado oito dias depois da primeira identificação deste ano, no dia 11 de agosto, numa profundidade de 18 metros. A quarta captura da espécie invasora, terceira em 2021, aconteceu na terça-feira (24), numa profundidade de 27 metros.

Com o novo registro deste sábado, do total de oito animais encontrados no Brasil, cinco foram localizados em Noronha.

A bióloga Clara Buck, da Universidade Federal Fluminense (UFF), informou ao portal G1 que o peixe-leão tem espinhos venenosos, que contêm uma toxina que pode causar febre, vermelhidão e até convulsões aos seres humanos.

A pesquisadora afirmou, ainda, que o peixe-leão é um predador e pode consumir espécies endêmicas, que só ocorrem nessa região, além de causar um desequilíbrio ecológico.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos