‘Quase botou a gente no fundo’, diz pescador após ser surpreendido por baleia jubarte na costa do Rio

Pescadores de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos do Rio, gravaram um vídeo em que mostram uma baleia jubarte acompanhando o barco em que estavam, nesta terça-feira, dia 19. Nas imagens, é possível ver o animal nadando bem próxima e em velocidade similar à traineira, o que provocou medo nos tripulantes que pescavam em mar aberto.

Projeto Baleia Jubarte: Primeira expedição no Rio observa animais durante a migração

Por ano: Cada brasileiro joga em média 16 quilos de plásticos no oceano

“Só Deus mesmo. Aí oh, tá vendo? Acompanhando a gente. Tivemos que largar o aparelho de novo. Fez a gente andar quase dez milhas. Tá complicado trabalhar. Quase botou nós no fundo, entendeu? Complicado mesmo. Só Jesus. Aqui ela aqui, oh. Quase botou a gente no fundo. Tá doido”, disse assustado um dos pescadores no vídeo que viralizou nas redes e gerou comentários sobre a grandiosidade do animal. Em outro momento, ela mergulha e aparece do outro lado do barco.

O caso não passou de um grande susto e a falta de conhecimento sobre o comportamento desses animais pode levar a interpretações equivocadas sobre as intenções das jubarte.

— Ali a baleia jubarte nitidamente estava acompanhando a embarcação. É tudo que a gente quer, quando os pesquisadores e turistas saem para ver baleia. (Os pesquisadores) falam que estão atacando, que têm que acelerar o barco se não ela aproxima e ataca — conta bem humorado Enrico Marcovaldi, fundador do Projeto Baleia Jubarte, que acrescenta que todo ano acontece a mesma coisa: pescadores dizendo estar sendo atacados por uma baleia jubarte — é impressionante, não muda — disse, alertando:

— O barco é uma traineira que tem velocidade de no máximo 7 ou 8 nós, equivalente a 13 quilômetros. A jubarte pode chegar até 15 nós ou 25 quilômetros. Uma baleia tem uma velocidade muito maior que um barco como esse. Se quisesse atacar ou agredir, já teria feito com a maior tranquilidade. Provavelmente são pessoas leigas, que não têm conhecimento sobre a espécie, infelizmente. A costa brasileira onde ocorre a presença de baleias possui quase quatro mil quilômetros entre São Paulo e Rio Grande do Norte e sempre tem um caso parecido.

Ele também explica que, apesar do tamanho, a baleia do vídeo ainda é jovem e isso é percebido logo de cara pela curiosidade e animação que ela demonstra diante da embarcação.

— Ela é muito mais dócil e curiosa. Acontece, algumas vezes, de uma jubarte acompanhar a gente (em expedição). Aí sai, de repente aparece de novo. E o pescador lá dizendo que ela estava atacando eles. Que bacana seria uma baleia dessa seguindo a gente assim — comenta Enrico, que desabafou ficar chateado com declarações que demonizam as baleias.

— Fico chateado porque isso faz as pessoas pensarem que as baleias são agressivas. Claro que tem que tomar cuidado e seguir as normas de avistagem. São animais que apesar de dóceis são selvagens, quando adultas chegam a 15 metros e 40 toneladas, então tem que tomar cuidado. Mas acho que se as grandes baleias fossem agressivas, o ser humano já tinha extinguido com elas. Já tinham vários e vários casos durante várias décadas de baleia virar barco e matar gente e não é isso que acontece — salienta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos