Quase cem civis são resgatados de siderúrgica em Mariupol, diz Zelenski

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um comboio de quase cem civis foi retirado neste domingo (1º) dos bunkers da siderúrgica Azovstal, em Mariupol, depois que a ONU e a Cruz Vermelha lideraram um acordo para aliviar a situação do cerco mais destrutivo da guerra da Ucrânia. Crianças estavam entre os resgatados.

Sob ataque russo há quase dois meses, a cidade portuária se transformou em uma espécie de terreno baldio, com número desconhecido de mortos e milhares de pessoas tentando sobreviver sem água, comida e saneamento.

"Começou a retirada de civis de Azovstal. O primeiro grupo de quase cem civis já está a caminho de uma área controlada. Amanhã nos reuniremos com eles", escreveu o presidente da Ucrânia, Volodomir Zelenski, em sua conta no Twitter.

A cidade está sob controle russo, mas alguns combatentes e civis se abrigaram no subsolo nas obras da siderúrgica da era soviética, fundada sob Josef Stálin e projetada como um labirinto de bunkers e túneis para resistir a ataques.

"A ONU confirma que uma operação de passagem segura está em andamento na siderúrgica Azovstal", disse o porta-voz Saviano Abreu. "Neste momento, e como as operações estão em andamento, não compartilharemos mais detalhes, pois isso pode comprometer a segurança dos civis e do comboio."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos