Quase um quinto dos caminhões não chegaram à Ceagesp devido aos atos antidemocráticos nas estradas; pode faltar flor no feriado de Finados

SÃO PAULO, SP, 01.11.2022 - Quase um quinto dos caminhões não chegam à Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo) devido aos atos antidemocráticos nas estradas. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 01.11.2022 - Quase um quinto dos caminhões não chegam à Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo) devido aos atos antidemocráticos nas estradas. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo) informou nesta terça-feira (1º) que houve queda de 17% na quantidade de veículos que entram cotidianamente no Entreposto Terminal São Paulo (ETSP), na Vila Leopoldina, zona oeste da capital paulista. A queda no fluxo foi observada entre a zero hora e as 10 horas da manhã desta terça.

"De acordo com dados da equipe que faz o monitoramento das portarias do entreposto da capital, até as 10 horas da manhã de terça-feira 4.439 veículos deram entrada na Ceagesp. Na semana anterior, considerando o mesmo dia da semana e horário, foram 5.223 entradas", diz, em nota.

A Ceagesp, no entanto, descarta risco de desabastecimento. "Conversamos com alguns produtores e permissionários e o mercado está abastecido. Não há falta de mercadorias", disse o chefe da seção de economia da Ceagesp, Thiago de Oliveira, no comunicado.

Ontem (31), comparando as segundas-feiras desta semana e da semana anterior, a redução na entrada de veículos foi de 5,5%.

FLORES NO FERIADO DE FINADOS

Além do mercado atacadista de frutas, legumes e verduras, a Ceagesp informa que o setor de flores e plantas também sentiu os impactos dos bloqueios. "Havia grande expectativa com a Feira de Flores desta segunda para terça-feira, que antecede o Dia de Finados, mas muitos caminhões não conseguiram chegar com os produtos por conta dos bloqueios nas rodovias", diz Oliveira. De acordo com a entidade, ainda não há dados consolidados sobre o impacto neste setor até o momento.

Devido às manifestações de golpistas nas estradas, promovidas por apoiadores do atual presidente Jair Bolsonaro (PL), derrotado nas últimas eleições, a Ceagesp informou que ficará liberada por 24 horas a entrada de caminhões no ETSP para carga e descarga. A medida é excepcional, uma vez que, normalmente, o horário limite é às 18 horas.

A Ceagesp é uma empresa pública federal sob a forma de sociedade anônima, vinculada ao Ministério da Economia. Sua função é ser um elo na cadeia de abastecimento de produtos hortifrutigranjeiros, para que a produção vinda do campo, de vários estados brasileiros e até de outros países, chegue com regularidade aos consumidores.

A empresa conta com duas unidades: entrepostagem e armazenagem. É responsável pela maior rede pública de armazéns do Estado de São Paulo, além de 13 entrepostos, entre eles, o ETSP, na zona oeste da capital paulista: a maior central de abastecimento da América Latina, pela qual todo dia passam 50 mil pessoas e 12 mil veículos.