Quatro aeroportos ainda estão proibidos de levar laptops para EUA

Um passageiro coloca seu laptop na bagagem após autoridades americanas banirem equipamentos eletrônicos pessoais em voos para os Estados Unidos de aeroportos no Oriente Médio e no norte da África

Quatro aeroportos continuam proibidos de levar laptops em voos para os Estados Unidos, disseram autoridades americanas nesta terça-feira (11). O veto foi criado devido ao temor de que o grupo Estado Islâmico (EI) escondesse uma bomba em aparelhos eletrônicos pessoais.

Os dois maiores aeroportos da Arábia Saudita, em Riyadh e Jeddah, o Aeroporto Internacional do Cairo, no Egito, e o Aeroporto Internacional Mohammed V, em Casablanca, no Marrocos, seguem proibidos, disse o Departamento de Segurança Interna (DHS, na sigla em inglês).

Seis outros aeroportos no Oriente Médio foram retirados da lista, criada em 21 de março, após ampliarem seus procedimentos de segurança.

A proibição exige que os passageiros levem todos os seus aparatos eletrônicos maiores que um celular na bagagem despachada.

Ela foi criada depois que equipes de inteligência descobriram tentativas do EI de disfarçar uma bomba em eletrônicos. O veto original era focado nos aeroportos no Oriente Médio e norte da África.

Mas, no mês passado, o DHS encaminhou novas diretrizes a 180 companhias do mundo todo que viajam para os Estados Unidos exigindo a melhoria dos procedimentos de segurança, especialmente a análise física e tecnológica da bagagem e dos eletrônicos.

As novas diretrizes incluíam pressão para instalar scanners detectores de explosivos em algumas semanas, bem como aumentar o número de cães farejadores.

"Eu estou preocupado com o interesse renovado de parte dos grupos terroristas pelo setor da aviação - de explodir aeronaves a atacar aeroportos em terra firme, como vimos em Bruxelas e Istambul", disse o secretário de Segurança Nacional, John Kelly.