As quatro coisas que você nunca deve fazer em uma emergência, de acordo com paramédico

Uma emergência de saúde, em especial com um ente querido, é sempre preocupante. Se um amigo ou familiar desmaia de repente no parque, tem uma grave reação alérgica durante o jantar ou começa a sentir dores no peito, os nosso instintos de socorrê-los já entram em alerta. Mas é preciso fazer isso da forma correta, pois uma conduta errada, mesmo na melhor das intenções, pode piorar a condição.

‘BBB23’: imagens do banheiro imundo do programa viralizam; com que frequência deve-se limpar o cômodo?

Covid em 2023: há mais de um mês em estoque, nova vacina ainda não tem previsão de uso

O médico, John Torres, da emergência do Premier Urgent Care em Colorado Springs, nos Estados Unidos, explicou ao programa Today, da emissora NBC News, quais são os quatro principais erros que as pessoas cometem em uma emergência. Confira abaixo.

Ligar primeiro para entes queridos

Diante de uma emergência, o primeiro instinto de muitas pessoas é é ligar para um ente querido - pai, filho ou irmão - para pedir ajuda. Mas, segundo Torres, o recomendado nessa situação é contatar imediatamente o serviço de emergência ou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), no Brasil.

De acordo com o especialista, ligar primeiro para qualquer outra pessoa desperdiça um tempo valioso, que poderia ser usado para ajudar a tratar o paciente.

— Assim que chegar ao hospital, você pode ligar para quem quiser. Você tem muito tempo. — disse o médico.

Café de estômago vazio: Estudo esclarece se prática faz mal

Levar a pessoa ao hospital por conta própria

Levar a pessoa ao hospital por conta própria pode parecer uma boa ideia e até mais rápido, mas, na verdade, isso atrasa o tratamento do paciente. Quando alguém liga para o atendimento de emergência, o atendimento ao paciente já começa pelo telefone. O atendente já explica o caso para os socorristas, enquanto eles se encaminham ao local, e pode até mesmo dar instruções sobre o que a pessoa pode fazer enquanto aguarda.

Além disso, as ambulâncias são equipadas com dispositivos médicos, incluindo monitores de frequência cardíaca, desfibriladores e oxigênio que podem limpar as vias aéreas e incubadoras para manter os pacientes aquecidos.

Além disso, conduzir ao hospital alguém que está passando por uma emergência de saúde pode ser muito perturbador para o motorista, aumentando o risco de acidentes.

Deixar a pessoa sozinha no pronto-socorro

Depois de levar alguém para a sala de emergência, pode ser tentador pensar que seu trabalho está feito. Mas, segundo Torres, é fundamental aguardar no local para garantir que o paciente está bem e responder às perguntas dos médicos e enfermeiras sobre o que aconteceu.

— Eles não vão pensar direito, especialmente se estiverem sofrendo. Então, [é importante] ter alguém lá que possa fazer perguntas — explica o médico.

Esquecer o carregador do celular

É claro que em uma emergência, o carregador do celular é a menor das preocupações. Mas Torres recomenda que, se possível, o ideal é levar o carregador consigo para uma emergência médica.

— Eu não posso te dizer quantas vezes as pessoas chegam e seus celulares morrem porque você vai ficar lá por seis, 10 ou 12 horas — diz o médico.

Isso é importante até mesmo para avisar os seus familiares e os do paciente. Nos Estados Unidos, o tempo médio de espera na sala de emergência é de cerca de duas horas, mas o tempo de consulta pode ser consideravelmente maior.