Quatro dias após suspensão de jogo entre Brasil e Argentina, secretário-geral adjunto da Conmebol renuncia

·3 minuto de leitura

RIO — Em menos de uma semana após a suspensão do jogo entre Brasil e Argentina por descumprimento de medidas sanitárias por quatro atletas, o secretário-geral da Confederação Sul-americana de Futebol (Conmebol) renunciou ao cargo. A entidade anunciou a decisão do argentino Gonzalo Belloso, sem especificar eventuais motivos, por meio de um comunicado emitido em rede social nesta quinta-feira, dia 9.

"A CONMEBOL informa que o Sr. Gonzalo Belloso renunciou a seu cargo na instituição e aproveita para expressar sua gratidão pelos anos de dedicação e trabalho frutífero em favor do futebol sul-americano", afirma postagem. "Gonzalo soube impulsionar a equipe de trabalho com dinamismo e energia, tal como o fazia antes nos campos, na sua qualidade de jogador de futebol profissional. Da CONMEBOL, desejamos a você boa sorte em seus próximos empreendimentos. Adeus, Gonzalo!"

Belloso também se manifestou por meio de nota divulgada em seu perfil.

"Foram quase 6 anos em que não deixei de responder a uma única chamada, a um pedido, a uma sugestão, a uma reclamação, a um pedido e até a ouvir algumas críticas. Fiz 100% de mim disponível", disse. "Sinto-me completamente calmo com o que tive que fazer".

Apesar dos esforços, o ex-secretário-geral adjunto afirmou que sua trajetória "não ficou imune às frustrações e decepções típicas de lugares onde paixão, poder e dinheiro se combinam".

"Tenho sido leal à instituição, aos meus superiores, aos meus colegas, à minha missão e, acima de tudo, aos meus valores e convicções", acrescentou.

A partida que seria realizada para as Eliminatórias da Copa do Mundo no último domingo em São Paulo foi suspensa logo no início, aos cinco minutos do primeiro tempo, quando autoridades brasileiras entraram em campo, com documentos que acusavam quatro argentinos da Premier League de terem violado as regras de quarentena da Covid-19 no país. Naquele momento, estavam no gramado o goleiro Emiliano Martinez do Aston Villa e a dupla do Tottenham Hotspur, Cristian Romero e Giovani Lo Celso. Já o meio-campista argentino do Aston Villa Emiliano Buendia, que também havia viajado do Reino Unido, estava nas arquibancadas.

Fifa abre processo disciplinar

A súmula da partida entre Brasil e Argentina não será publicada pela Conmebol, que encaminhou o documento elaborado pelo árbitro Jesús Valenzuela à Fifa. A Eliminatória da Copa de 2022 é uma competição da entidade máxima do futebol, que vai decidir se divulga o documento ou se apenas decide sobre o adiamento do jogo através dele. A Conmebol só publica súmulas dos jogos por determinação de sua Unidade Disciplinar, e vai acatar o que a Fifa decidir.

"Após a análise dos relatórios oficiais das partidas das Eliminatórias da Copa do Mundo entre Brasil e Argentina, a Fifa pode confirmar que um processo disciplinar foi aberto envolvendo as duas federações", disse a Fifa em comunicado publicado nesta terça-feira.

"As duas equipes foram solicitadas a fornecer mais informações sobre os fatos que levaram à suspensão da partida, que serão coletadas e analisadas minuciosamente pelo Comitê Disciplinar da FIFA", acrescentou.

A Polícia Federal do Brasil disse na segunda-feira que abriu um inquérito formal sobre as ações dos jogadores argentinos que, disse um porta-voz, foram deportados.

A Anvisa disse que as regras brasileiras deixam claro que os viajantes que estiveram no Reino Unido, África do Sul ou Índia nos últimos 14 dias estão proibidos de entrar no país, a menos que sejam brasileiros ou tenham residência permanente. Segundo o relatório, jogadores argentinos fizeram declarações falsas sobre seu paradeiro anterior em formulários de imigração.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos