Quatro imigrantes morreram em naufrágio no Canal da Mancha

·1 minuto de leitura
Esta fotografia tirada em 27 de outubro de 2020 mostra um helicóptero SAMU (Serviço Francês de Assistência Médica Urgente) pousando no porto de Dunquerque, no norte da França, depois que um pequeno barco que transportava migrantes naufragou e um homem foi encontrado morto.
Esta fotografia tirada em 27 de outubro de 2020 mostra um helicóptero SAMU (Serviço Francês de Assistência Médica Urgente) pousando no porto de Dunquerque, no norte da França, depois que um pequeno barco que transportava migrantes naufragou e um homem foi encontrado morto.

Quatro imigrantes morreram na terça-feira (27) depois que o barco em que estavam virou no Canal da Mancha, partindo da França na tentativa de chegar na costa do Reino Unido, informou um funcionário francês. 

Uma mulher e duas crianças de 5 e 8 anos estão entre as vítimas, segundo as autoridades francesas.

Quinze pessoas de nacionalidade iraniana foram resgatadas, mas as buscas ainda continuarão na noite de terça-feira.

De acordo com depoimentos dos outros imigrantes "faltava uma pessoa, possivelmente um bebê", disse o vice-prefeito, Hervé Tourmente, em uma coletiva de imprensa na praia de Loon, perto de Dunquerque. 

Nos últimos meses, um número crescente de imigrantes tenta cruzar essa concorrida rota de navegação. Quatro pessoas morreram nessa empreitada de cruzar o Canal da Mancha em 2019, e até o momento sete pessoas perderam suas vidas em 2020.

Em setembro, as autoridades francesas disseram que haviam interceptado mais de 1.300 pessoas, incluindo um punhado que tentaram, a nado, cruzar o Canal. 

O norte da França tem sido durante muito tempo um imã para as pessoas que tentam chegar ilegalmente a Grã-Bretanha em pequenas embarcações ou em uma das dezenas de milhares de caminhões e carros que cruzam diariamente em balsas e trens.

cab-meb/mb/gf