Quatro pessoas condenadas à morte na Índia por atentado em comício em 2013

·1 min de leitura
Uma série de explosões ocorreu em um parque na cidade de Patna, pouco antes de o então líder da oposição Narendra Modi se dirigir a uma multidão (AFP/STR)

Quatro pessoas acusadas de um ataque a um comício eleitoral de 2013 do primeiro-ministro indiano Narendra Modi foram condenadas à morte na segunda-feira, e duas outras foram condenadas à prisão perpétua.

Uma série de explosões abalou um parque da cidade de Patna, no leste, pouco antes de o então líder da oposição Modi se dirigir a uma multidão durante um comício de campanha.

Os ataques também atingiram uma estação ferroviária próxima, matando seis pessoas e ferindo quase 100.

A Agência Nacional de Investigação (NIA), a principal autoridade de contraterrorismo do país, disse na segunda-feira que todos os réus faziam parte do grupo proibido Movimento Islâmico de Estudantes da Índia.

O promotor Lalan Kumar declarou à AFP que o grupo foi condenado na segunda-feira por conspirar para "fazer guerra contra o governo".

O tribunal também condenou três outros implicados nos ataques a sentenças de sete a 10 anos.

Um advogado dos réus disse que apelará da sentença em um tribunal superior.

"A NIA não conseguiu identificar o autor intelectual do caso", disse nesta terça à AFP Syed Imran Ghani.

"Os réus não são terroristas e não têm ficha criminal", reclamou.

str-ash/gle/lb/sag/mar/mr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos