Quatro pessoas são esfaqueadas no Réveillon de Copacabana, no Rio

·2 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Quatro pessoas foram esfaqueadas no Réveillon de Copacabana, no Rio de Janeiro, pouco antes da virada de 2021 para 2022. Os feridos foram atendidos em postos da Secretaria Municipal de Saúde instalados na orla e dois deles precisaram ser encaminhados para hospitais da cidade.

Por causa da pandemia, a Prefeitura do Rio cancelou shows musicais, mas manteve a queima de fogos em pontos como a praia de Copacabana, na zona sul.

Um público menor do que nos anos anteriores à pandemia acompanhou o espetáculo de 15 minutos de fogos, mas isso não impediu o registro de ocorrências policiais.

Várias pessoas relataram nas redes sociais terem presenciado tentativas de arrastão e correria em Copacabana.

Durante a queima de fogos, imagens divulgadas por turistas e cariocas mostraram correria entre os postos 3 e 4.

"Vi três assaltos e um arrastão", disse uma das pessoas presentes em Copacabana. "Comecei 2022 correndo de arrastão na praia", disse outra.

Segundo a Polícia Militar, um homem armado com uma pistola foi preso em flagrante, na altura do posto 4. Outro homem foi preso após roubar um cordão na avenida Atlântica.

Na madrugada de sexta-feira (31), guardas municipais evitaram o linchamento de um homem acusado de tentar roubar um casal em Copacabana. Ele estava com um cutelo e uma faca e feriu uma das vítimas.

Este ano pela primeira vez 160 policiais militares usaram câmeras corporais capazes de filmar as ações por até 12 horas.

Além do uso da nova tecnologia, a fiscalização em torres de observação também faz parte do Plano Especial de Policiamento montado para o Réveillon.

Após ser atingido em cheio pela pandemia, o setor de turismo na cidade do Rio de Janeiro vive clima de otimismo. A ocupação da rede hoteleira da cidade iniciou a semana na faixa de 92%, conforme balanço do HotéisRIO (Sindicato dos Meios de Hospedagem do Município do Rio de Janeiro).

O ramo de bares e restaurantes também comemora a chegada de visitantes após os prejuízos sentidos na pandemia.

Estabelecimentos que costumam receber turistas na cidade esperam uma alta nominal (sem levar em conta a inflação) de 25% a 30% no faturamento devido ao Ano-Novo em comparação com o desempenho do setor nos últimos meses, diz o presidente da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) no Rio de Janeiro, Pedro Hermeto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos