Quatro pessoas são esfaqueadas no Réveillon de Copacabana, no Rio

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·4 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Fireworks go off on Copacabana beach to mark the New Year in Rio de Janeiro, Brazil on January 1, 2022. (Photo by DANIEL RAMALHO / AFP) (Photo by DANIEL RAMALHO/AFP via Getty Images)
Fireworks go off on Copacabana beach to mark the New Year in Rio de Janeiro, Brazil on January 1, 2022. (Photo by DANIEL RAMALHO / AFP) (Photo by DANIEL RAMALHO/AFP via Getty Images)

Quatro pessoas foram esfaqueadas no Réveillon de Copacabana, no Rio de Janeiro, pouco antes da virada de 2021 para 2022. Os feridos foram atendidos em postos da Secretaria Municipal de Saúde instalados na orla e dois deles precisaram ser encaminhados para hospitais da cidade. 

Por causa da pandemia da Covid-19, a Prefeitura do Rio cancelou shows musicais, mas manteve a queima de fogos em pontos como a praia de Copacabana, na zona sul. 

Um público menor do que nos anos anteriores à pandemia acompanhou o espetáculo de 15 minutos de fogos, mas isso não impediu o registro de ocorrências policiais. 

Várias pessoas relataram nas redes sociais terem presenciado tentativas de arrastão e correria em Copacabana. 

Durante a queima de fogos, imagens divulgadas por turistas e cariocas mostraram correria entre os postos 3 e 4. 

"Vi três assaltos e um arrastão", disse uma das pessoas presentes em Copacabana. "Comecei 2022 correndo de arrastão na praia", disse outra. 

Segundo a Polícia Militar, um homem armado com uma pistola foi preso em flagrante, na altura do posto 4. Outro homem foi preso após roubar um cordão na avenida Atlântica. 

Na madrugada de sexta-feira (31), guardas municipais evitaram o linchamento de um homem acusado de tentar roubar um casal em Copacabana. Ele estava com um cutelo e uma faca e feriu uma das vítimas. 

Vítimas das facadas já receberam alta, diz prefeitura

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio (SMS-Rio) informou, na manhã deste sábado, que os dois esfaqueados levados para os hospitais municipais Souza Aguiar e Miguel Couto, no Centro e na Gávea, respectivamente, receberam os cuidados indicados e já tiveram alta. 

No total, quatro pessoas que estavam em Copacabana na noite de réveillon foram esfaqueadas, segundo a prefeitura do Rio. Os dois pacientes chegaram aos postos de atendimento por volta da meia-noite. Os outros dois tiveram ferimentos leves e foram liberados.

Uma das vítimas foi um jovem ferido após reagir ao defender sua mãe, que havia sido roubada. Com corte leves, ele recusou atendimento. Outra vítima foi uma colombiana que foi esfaqueada no rosto após criminosos a roubarem. A mulher foi alvo de bandidos que faziam um arrastão na praia. O secretário municipal de Ordem Pública, Brenno Carnevale, relatou que um dos feridos se envolveu em uma briga.

— Eu não tenho detalhes das ocorrências das facadas. Mas uma das vítimas foi atingida em uma briga perto da hora da virada. Entre ontem e hoje fizemos mais de 20 conduções à delegacia. Prendemos um suspeito que usava uma faca para assaltar um casal. Infelizmente, ocorreram esses episódios. Lamentamos as pessoas esfaqueadas. Mesmo com a limitação, o saldo foi positivo — disse Brenno, à noite.

O secretário afirmou que “dentro do cenário encontrado, o saldo foi positivo” é o réveillon foi como “um domingo de sol no Arpoador”.

— Fizemos muitas abordagens, muitos adolescentes sozinhos vieram roubar. Mas, dentro do cenário, eu diria que vivemos como se fosse um domingo de sol no arpoador. Acredito que coibimos muitos crimes.

O balanço da secretaria informa que, nos três postos médicos, das 17h30 do dia 31 às 3h30 do dia 1° de janeiro, foram atendidas 111 pessoas. 

A maioria delas sofreu pequenos traumas (pancadas, cortes, etc) ou passou mal devido à excessiva ingestão de bebidas alcoólicas. Onze pacientes com quadros mais graves precisaram ser transferidos para hospitais ou UPAs da rede, entre eles os homens esfaqueados

Câmeras nos uniformes da PM do Rio

Este ano pela primeira vez 160 policiais militares usaram câmeras corporais capazes de filmar as ações por até 12 horas. 

Além do uso da nova tecnologia, a fiscalização em torres de observação também faz parte do Plano Especial de Policiamento montado para o Réveillon. 

Após ser atingido em cheio pela pandemia, o setor de turismo na cidade do Rio de Janeiro vive clima de otimismo. A ocupação da rede hoteleira da cidade iniciou a semana na faixa de 92%, conforme balanço do HotéisRIO (Sindicato dos Meios de Hospedagem do Município do Rio de Janeiro). 

O ramo de bares e restaurantes também comemora a chegada de visitantes após os prejuízos sentidos na pandemia

Estabelecimentos que costumam receber turistas na cidade esperam uma alta nominal (sem levar em conta a inflação) de 25% a 30% no faturamento devido ao Ano-Novo em comparação com o desempenho do setor nos últimos meses, diz o presidente da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) no Rio de Janeiro, Pedro Hermeto. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos