Dois adultos morrem no ataque em colégio da Califórnia

1 / 2
Estudante e sua mãe se abraçam em frente ao colégio Cajon, em San Bernardino, em 10 de abril de 2017

Duas pessoas morreram, e duas ficaram feridas, nesta segunda-feira (10), na escola de Ensino Fundamental North Park, da cidade de San Bernardino, em um caso de "assassinato-suicídio" - segundo a polícia local.

O incidente aconteceu às 10h30 locais (14h30, no horário de Brasília).

Há dois mortos e dois feridos "estão sendo tratados", revelou o chefe da Polícia local, Jarrod Burguan, no Twitter.

"Acreditamos que se trata de um assassinato-suicídio. Aconteceu em uma sala de aula", relatou Burgan.

Mais tarde, a Polícia anunciou que dois adultos estão entre os mortos pelo ataque e que, provavelmente, um deles era uma professora.

Em entrevista coletiva, o porta-voz policial Mike Madden confirmou que uma mulher morreu e um homem se suicidou.

As outras vítimas são, provavelmente, crianças que ainda estão hospitalizadas, completou o policial, acrescentando que, "por precaução", os alunos foram levados para um liceu próximo.

San Bernardino já havia sido palco de um atentado de inspiração islâmica em 2 de dezembro de 2015, quando 14 pessoas morreram, e outras 22 ficaram feridas. Foi o ataque mais letal em solo americano desde o 11 de Setembro.

Nesse episódio, um casal fortemente armado - um americano e sua parceira paquistanesa - abriu fogo em uma reunião de fim de ano, organizada por funcionários de saúde de um centro para deficientes, no coração dessa cidade californiana.

O grupo Estado Islâmico não assumiu diretamente o ataque, mas parabenizou seus autores, chamando-os de "soldados" de seu autoproclamado califado.

Ainda na lista dos piores atentados nos EUA, está o ataque em junho de 2016 em uma boate gay de Orlando, na Flórida, que deixou 49 mortos e 50 feridos. Neste caso, o EI reivindicou sua autoria.

Em relação à agressão ocorrida nesta segunda em San Bernardino, os indícios apontam para um crime passional.