"Que cessar-fogo?": bombas voam na linha de frente da Ucrânia, apesar de trégua de Putin

Soldados ucranianos na frente de combate na região de Kreminna

Por Herbert Villarraga

PERTO DE KREMINNA, Ucrânia (Reuters) - Forças russas e ucranianas trocaram fogo na linha de frente na Ucrânia nesta sexta-feira, mesmo depois de Moscou dizer que havia ordenado que suas tropas parassem de atirar, em uma trégua unilateral que foi firmemente rejeitada por Kiev.

O presidente Vladimir Putin ordenou um cessar-fogo de 36 horas a partir do meio-dia desta sexta-feira por causa do Natal ortodoxo da Rússia. A Ucrânia afirmou que não tem intenção de interromper os combates, rejeitando a suposta trégua por considerá-la uma manobra de Moscou para ganhar tempo para reforçar suas tropas que sofreram pesadas baixas esta semana.

“Que cessar-fogo? Está ouvindo?”, disse um soldado ucraniano, usando o nome de guerra Vyshnya, enquanto uma explosão soava à distância na linha de frente perto de Kreminna, no leste da Ucrânia. “O que eles querem alcançar se continuam atirando? Nós sabemos, nós aprendemos a não confiar neles.”

O Ministério da Defesa da Rússia disse que suas tropas começaram a cumprir o cessar-fogo a partir do meio-dia, horário de Moscou (6h, em Brasília) “em toda a linha de contato”, mas afirmou que a Ucrânia continuou bombardeando áreas povoadas e posições militares.

A Reuters ouviu explosões do que as tropas ucranianas na linha de frente descreveram como disparos de foguetes russos. Ucranianos atiraram de volta a partir de tanques.

As tropas ucranianas afirmaram que a situação estava mais quieta do que em muitos outros dias porque a neve tornou mais difícil voar drones e identificar alvos. Mas eles não viram sinais de cessar-fogo dos russos.

“A situação de hoje é exatamente a mesma de ontem, de anteontem, da semana passada e do mês passado”, disse um dos soldados, escondendo o rosto com um cachecol. “Não faz sentido conversar com eles, acreditar em suas promessas, ordens e decretos”.

Não foi possível estabelecer em um primeiro momento se houve qualquer redução em intensidade nos combates em outros locais.

Uma testemunha em Donetsk, capital da região que leva o mesmo nome, ocupada pela Rússia, perto da linha de frente, também descreveu artilharia disparada de posições pró-Rússia nos arredores da cidade, após o momento em que a trégua deveria começar.

O governador ucraniano na província de Luhansk, na linha de frente ao leste, Serhiy Haidai, disse que nas primeiras três horas do suposto cessar-fogo os russos haviam bombardeado posições ucranianas 14 vezes e atacado uma instalação três vezes.

“Assassinos ortodoxos desejam um feliz Natal para vocês”, o governador escreveu no aplicativo de mensagens Telegram.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, rejeitou o cessar-fogo como uma manobra russa para conseguir tempo, após sofrerem pesadas baixas na linha de frente.

“Eles agora querem usar o Natal como um disfarce, ainda que brevemente, para interromper o avanço dos nossos rapazes... e trazer equipamentos, munição e mobilizar tropas para perto das nossas posições”, disse Zelenskiy, em seu discurso por vídeo na noite de quinta-feira.

A Igreja Ortodoxa da Rússia comemora o Natal em 7 de janeiro. A principal Igreja Ortodoxa da Ucrânia rejeita a autoridade de Moscou, e muitos fiéis ucranianos mudaram seu calendário para celebrar o Natal em 25 de dezembro, como acontece no Ocidente.

(Reportagem de redações da Reuters)