Queda de avião com 43 pessoas a bordo deixa 19 mortos na Tanzânia

Dezenove pessoas morreram, neste domingo (6), na queda de um avião com 43 pessoas a bordo no Lago Vitória, na Tanzânia, pouco antes de pousar na cidade de Bukoba, informou o primeiro-ministro Kasim Majaliwa.

"Todos os tanzanianos estão com vocês no luto pelas 19 pessoas que perderam a vida neste acidente", declarou Majaliwa às pessoas reunidas em busca por informações no aeroporto de Bukoba, onde a aeronave deveria pousar procedente de Dar es Salaam.

Um balanço anterior apontava para três mortos.

A aeronave acidentada era um turboélice ATR 42-500, da empresa privada local Precision Air.

"Houve um acidente de um avião da (companhia aérea) Precision Air que (...) caiu na água a cerca de 100 metros do aeroporto", declarou mais cedo o comandante da polícia regional, William Mwampaghale, a jornalistas no aeroporto de Bukoba.

O comissário regional Albert Chalamila explicou que entre as 43 pessoas a bordo, estavam 39 passageiros, os dois pilotos e dois tripulantes.

Ele informou que 26 pessoas puderam ser salvas.

Não está claro se o número de mortos inclui socorristas que se afogaram no lago ou se a aeronave tinha mais pessoas a bordo, segundo uma autoridade regional.

"Continuamos as investigações, é possível que duas pessoas que não estavam a bordo morreram durante as operações de resgate", disse Albert Chalamila.

Vídeos divulgados pela imprensa local mostram o avião em grande parte submerso enquanto as equipes de resgate tentam socorrer os sobreviventes.

- "Manter a calma" -

A presidente Samia Suluhu Hassan expressou suas condolências às pessoas afetadas pelo acidente.

"Vamos manter a calma enquanto as operações de resgate continuam e orar para que Deus nos ajude", escreveu no Twitter.

O presidente da Comissão da União Africana, Moussa Faki Mahamat, também enviou condolências, assim como o secretário-geral do bloco regional da Comunidade da África Oriental, Peter Mathuki.

"Nossos corações e orações vão para as famílias dos passageiros (...) e nos solidarizamos com o governo e o povo da #Tanzânia", manifestou no Twitter.

"A Comunidade da África Oriental se une à Mama Samia Suluhu Hassan, às famílias e aos amigos de todos os afetados pelo acidente da Precision Air enviando suas condolências", acrescentou Mathuki.

A Precision Air, que é a maior companhia aérea privada da Tanzânia, divulgou um breve comunicado confirmando o acidente.

A empresa, que é de propriedade parcial da Kenya Airways, foi fundada em 1993 e opera voos domésticos e regionais, bem como fretamentos privados para destinos turísticos populares, como o Parque Nacional do Serengeti e o Arquipélago de Zanzibar.

Sua frota é composta por nove aeronaves, incluindo 3 ATR 42-500, 1 ATR 42-600 e 5 ATR 72-500. Não se sabe qual dos ATR 42 caiu.

O acidente ocorre cinco anos depois que 11 pessoas morreram quando um avião pertencente a uma empresa de safári caiu no norte da Tanzânia.

Em março de 2019, um voo da Ethiopian Airlines de Adis Abeba para Nairóbi caiu seis minutos após a decolagem em um campo a sudeste da capital etíope, matando todas as 157 pessoas a bordo.

Em 2007, um voo da Kenya Airways entre a cidade marfinense de Abidjan para Nairóbi, capital do Quênia, caiu em um pântano após a decolagem, matando seus 114 passageiros.

Em 2000, outro voo da Kenya Airways de Abidjan para Nairóbi caiu no Oceano Atlântico minutos após a decolagem, matando 169 pessoas enquanto outras 10 sobreviveram.

str-amu/pa/mr