Queda de movimento nos transportes do Rio se acentua

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil

A queda no fluxo de passageiros dos principais transportes da região metropolitana do Rio de Janeiro se acentuou nesta quarta-feira (18), com a adesão a medidas de distanciamento social indicadas pelo governo do estado e prefeitura da cidade como medidas de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19).

Os trens da Supervia também circularam mais vazios na manhã de hoje. Segundo a concessionária, a queda no número de passageiros passou dos 32% registrados até as 9h da manhã de ontem para 40% na mesma faixa de horário hoje. Ao longo da semana, a Supervia transportou cerca de 440 mil passageiros a menos.

Já a Metrô Rio informou que, na manhã de ontem (17), a queda de 35% de pessoas transportadas se manteve. O percentual já havia sido atingido na segunda-feira (16).

O VLT Carioca, que opera o veículo leve sobre trilhos no centro da cidade, também informou que ontem (17) houve uma queda de 47,6% no número de passageiros.

Praias

A menor circulação de pessoas na cidade se refletiu em locais menos movimentados, como as praias. Apesar da manhã de sol, sobrou espaço na orla do Leme ao Leblon.

As praias cheias no fim de semana foram alvo de preocupação do governo do estado, que já havia recomendado o esvaziamento de espaços públicos para evitar a transmissão do coronavírus.

Bombeiros da Defesa Civil chegaram a utilizar alto-falantes no início da semana para pedir que os banhistas se retirassem.

Viaturas da Polícia Militar também estão circulando com mensagens sonoras pedindo que as pessoas evitem sair de suas casas.