Guterres pede "investigação clara" para eliminar dúvidas sobre ataque químico

Bruxelas, 5 abr (EFE).- O secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu nesta quarta-feira uma "clara investigação" para "eliminar todas as dúvidas" sobre a autoria do ataque químico na cidade de Jan Shijun, no norte da Síria, onde morreram 72 pessoas, entre elas 20 menores.

"Eu acredito que necessitamos de uma investigação clara para eliminar todas as dúvidas, e necessitamos que haja uma responsabilidade baseada nos resultados dessa investigação", disse Guterres, em sua chegada na conferência internacional sobre a Síria, em Bruxelas.

Segundo Guterres, o ataque ocorrido ontem demonstra que, "infelizmente, os crimes de guerra continuam na Síria" e que "a lei humanitária está sendo frequentemente violada".

"Pedimos responsabilidades por estes crimes", disse o secretário-geral, lembrando que o Conselho de Segurança da ONU se reunirá hoje para abordar este tema.

Já o ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Marc Ayrault, disse que "não há dúvida sobre a responsabilidade do regime sírio".

"Moscou reconhece que houve sobrevoos e que são aviões sírios, que de fato são russos, os que dispararam mísseis", acrescentou.

Na sua opinião, "o que aconteceu é, novamente, uma tragédia".

Lembrou que o uso de armas químicas "está proibido pelo tratado que as veta e que a Síria assinou em 2013", apesar do país "seguir utilizando armas químicas" e cada vez produtos "ainda mais tóxicos".

"Há mortos, há feridos. É a razão pela que não podemos fechar os olhos. Por isso pedimos uma resolução do Conselho de Segurança. Espero que seja adotada uma resolução de condenação e que peça a verdade e responsabilidades", afirmou.

Guterres ressaltou a importância que a comunidade internacional se reúna em conferências como a de hoje em Bruxelas para "pressionar as partes no conflito e os países que têm influência sobre elas", quanto à "necessidade fundamental de acabar com esta guerra horrível". EFE