Agosto termina com quase 3x mais queimadas na Amazônia do que em 2018

Número é quase três vezes maior que o registrado no mesmo período do ano passado. (Foto: REUTERS/Ricardo Moraes)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Total de focos de incêndio registrados no mês é 20% maior que a média histórica

  • Desde 2011, Brasil seguia tendência de diminuição de número de queimadas

De acordo com o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), o mês de agosto terminou com um número de queimadas na Amazônia quase três vezes maior que o registrado no mesmo período do ano passado. Foram 30.901 focos de incêndio, contra 10.421 em 2018 – uma alta de 196%.

A média histórica para os meses de agosto, medida desde 1998, era de 25 mil focos, o que significa que houve um aumento de 20%. O registro de 2019 é o maior desde 2010, quando foram contabilizados 45.018 focos. Desde 2011, no entanto, o Brasil vinha registrando números abaixo da média. As informações são do portal UOL.

Leia também

Dos quase 31 mil focos de incêndio registrados neste mês, 10.185 foram no Pará. No estado, a cidade de Altamira se destaca no número de queimadas: foram 2.932 casos neste ano.

Especialistas argumentam que as queimadas são a etapa final do processo de desmatamento na Amazônia. A maior parte das áreas incendiadas são usadas para pastos.

O único bioma que não sofreu aumento nos focos de incêndio foi a caatinga. O cerrado teve um aumento de 61% em relação ao registro de agosto do ano passado: foram 12.906 ocorrências.