Não é só Amazônia: número de queimadas também aumentou no Pantanal

Mato Grosso declarou estado de emergência devido às queimadas. (Foto: Mayke Toscano/Secom MT)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Na maioria dos casos, fogo é causado pelo homem

  • Temperaturas estão de 4ºC a 6ºC mais altas nesta semana

A Amazônia não é o único bioma brasileiro que sofre com o aumento das queimadas: de janeiro a setembro de 2019, o Pantanal registrou 334% mais focos de incêndio que no mesmo período do ano passado. Quem divulgou a informação foi o Programa Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Leia também:

Entre 1º de janeiro e 11 de setembro deste ano, foram registrados 4.515 focos de incêndio na região. No ano passado, foram 1.039 nesse período. O registro de 2019 é 43,6% acima da média dos últimos 21 anos, mas ainda não supera o recorde de 2005 para esses meses: 9.881 focos de queimadas no bioma.

Francisco Assis Diniz, chefe da previsão do tempo do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), explica ao G1 que houve uma redução de 25% nas chuvas da região entre os meses de janeiro e agosto:

"O Pantanal teve déficit dos meses chuvosos, e isso reflete no clima de agora, mesmo que nos meses secos a precipitação esteja dentro do normal", afirma.

Geralmente, os meses de janeiro e março são os mais chuvosos. Não foi o caso neste ano, e por isso a estiagem que ocorre todos os anos a partir de maio está mais severa. Um outro agravante é a onda de calor que o bioma enfrenta há uma semana, com temperaturas de 4ºC a 6ºC acima do esperado. No momento, o Pantanal registra temperaturas médias de 38ºC a 40ºC.

Os governos do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul, estados em parte cobertos pelo bioma, declararam situação de emergência em decorrência da seca e das queimadas. No Mato Grosso do Sul, a Defesa Civil pediu o auxílio do avião C-130 Hércules, da Força Aérea, para controlar o fogo.

Felipe Augusto Dias, diretor-executivo da ONG SOS Pantanal, defende que as chamas foram iniciadas pela ação humana, intencional ou não:

“O fogo pode ter sido provocado intencionalmente ou ter ocorrido por causa de uma bituca de cigarro ou um objeto jogado que, pelo reflexo, cria calor e fogo na palha seca."

Ele diz, também, que os ventos fortes na região ajudam a espalhar o fogo por um raio de até 10km do foco inicial.

Mesmo com o aumento das queimadas no Pantanal, a Amazônia continua sendo o bioma mais afetado pelo fogo: 49,6% dos focos registrado no Brasil nesse mesmo período aconteceram por lá. Os incêndios florestais no Pantanal em 2019 correspondem a 4,1% do total.