Queiroga admite à CPI da Covid que não tem infectologista em sua equipe direta

·1 minuto de leitura

RIO — Durante seu depoimento na CPI da Covid, pela segunda vez, o ministro da Saúde Marcelo Queiroga reconheceu não ter médicos infectologistas na sua equipe, mas ressaltou que isso vem de gestõe anteriores. Senadores governistas discordaram do depoente desta terça-feira e disseram que há infectologias sim na pasta.

— Então o ministro está mentindo? — questionou o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM).

Depois, Queiroga reiterou a afirmação sobre a presença de especialistas:

— Na minha equipe direta, não tenho nenhum infectologista.

A infectologista Luana Araújo, em seu depoimento à CPI, havia mencionado que não tinha conhecimento sobre outros médicos com a mesma especialidade que a sua na equipe do ministério. Em resposta ao senador governista Marcos Rogério (DEM-RO), que citou o número de especialistas em infectologia no Brasil, ela afirmou que há poucos profissionais na área:

— Não conheci outro colega infectologista — afirmou, explicando que seria a única em nível de secretariado.

Queiroga chamou para si a decisão de não ter efetivado Luana como secretária de Enfrentamento à Pandemia do Ministério da Saúde, em contraste ao que ele e a própria médica haviam dito.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos