Queiroga diz que não é ‘despachante da Anvisa’ e que a história irá julgá-lo como ministro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Marcelo Queiroga
    Médico brasileiro, Ministro da Saúde do Brasil

BRASÍLIA — O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, rebateu críticas sobre a demora para o início da vacinação de crianças contra a Covid-19 e sobre a gestão dele à frente da pasta. Na avaliação do cardiologista, a pasta não precisa seguir todas as determinações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). As declarações foram dadas neste sábado em entrevista à imprensa em João Pessoa (PB).

— Quantos medicamentos, dispositivos ou produtos têm registro na Anvisa e não fazem parte das políticas públicas? O Ministério da Saúde, o ministro da Saúde não é um despachante de decisão da Anvisa, nem de agência nenhuma. O Ministério da Saúde é quem conduz a saúde pública e o ministro da Saúde é a principal autoridade do sistema de saúde no Brasil — argumentou.

Sob críticas diante do atraso da imunização de crianças de 5 a 11 anos, Queiroga minimizou o caso. O ministério liberou a vacinação do público infantil em 5 de janeiro, 20 dias depois de a Anvisa ter autorizado a aplicação de doses pediátricas da Pfizer no grupo.

— A história vai me julgar. Eu trabalho todo dia para que eu tenha um bom julgamento — ponderou o ministro.

Davi Seremramiwe Xavante, de 8 anos, tem deficiência motora e foi a primeira criança vacinada contra a Covid-19 no Brasil na última sexta-feira. O garoto indígena recebeu a primeira dose do imunizante em um evento simbólico nesta sexta-feira no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos