Queixa coletiva acusa grandes universidades americanas de favorecer estudantes ricos

·1 min de leitura

Prestigiosas universidades dos Estados Unidos teriam feito um acordo sobre as bolsas de estudos destinadas aos estudantes que favoreceriam os alunos mais ricos. Esta não é a primeira vez que as instituições de ensino superior americanas se envolvem com escândalos na justiça.

Yale, Georgetown, Columbia, etc…, são nomes que fazem os jovens dos Estados Unidos, mas também de outros países, sonhar. No entanto, essas instituições estão entre as 16 grandes universidades americanas visadas por uma queixa encaminhada a um tribunal de Illinois.

Segundo o Wall Street Journal, que revelou o caso, cinco ex-estudantes acusam as universidades de terem feito um pacto para fixar o volume das ajudas fincanceiras destinadas aos alunos. Pelo acordo, o valor das bolsas de estudos foi reduzido. De acordo com a queixa, essa política penalizaria principalmente as classes médias e pobres. Como as universidades custam muito caro nos Estados Unidos, os estudantes de baixa renda que conseguem entrar em uma dessas instituições são obrigados fazer empréstimos e se endividar por muitos anos.

Vários escândalos

O número de pessoas penalizadas pode ser muito maior. Os advogados da defesa, entrevistados pelo Wall Street Journal, estimam que 170.000 ex-estudantes podem integrar a queixa coletiva, feita no Illinois.


Leia mais

Leia também:
Ranking mundial de universidades confirma liderança de americanas; USP está em 146° lugar

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos