Quem é Felipe Neto? Relembre trajetória e polêmicas do youtuber

Redação
YouTube / @Felipe Neto | João Cotta / Globo / Divulgação | YouTube / @Felipe Neto

Felipe Neto, dono de um dos canais de maior sucesso no YouTube brasileiro, tem chamado atenção recentemente por conta de atitudes e posicionamentos como a distribuição de 14 mil livros com temática LGBT durante a Bienal do Livro do Rio de Janeiro no último dia 7.

Além de ser um youtuber 'veterano' - seu primeiro vídeo foi postado na plataforma em 19 de abril de 2010 - que usa cabelos coloridos com frequência, Felipe Neto também é conhecido por seu trabalho como empresário e por ser um dos principais influenciadores do País.

Leia também

Felipe Neto é conhecido por ter tomado diversos posicionamentos em variados assuntos ao longo de sua carreira. "Hoje, minhas maiores lutas são no campo da diversidade, depressão e a parte da literatura", afirmou Felipe Neto ao E+ no último dia 6 de setembro.
O youtuber fala desde temas mais simples, como declarar sua torcida para o sírio Kaysar Dadour na final do BBB 18 ou fazer críticas à organização do Meus Prêmios Nick, passando por temas ligados à internet, como o fim dos likes no Instagram, até chegar a ações de confronto ou protesto, como a ocorrida na Bienal do Livro do Rio de Janeiro em 2019.

Na ocasião, em protesto à tentativa do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB) de recolher livros dos Vingadores, da Marvel - o que resultou em vaias a fiscais da prefeitura no local - Felipe Neto comprou 14 mil livros com temática LGBT e mandou distribuí-los de graça, na praça central do evento.

Os 14 mil livros, comprados na própria Bienal, foram envolvidos em plástico preto acompanhados de um adesivo: "Este livro é impróprio para pessoas atrasadas, retrógradas e preconceituosas."

Sobre vídeos antigos em que Felipe Neto aparecia fazendo comentários críticos à comunidade LGBT, o youtuber explicou em entrevista ao Estado: "Eu cresci em um meio muito tradicional e reacionário. Quando comecei a gravar vídeos para a internet, era um menino de 21 anos ainda em processo de amadurecimento, o que me fez criar um personagem reclamão que falava muito palavrão e dizia alguns clichês idiotas e preconceituosos".

"Dez anos se passaram e, quem me acompanhou durante esse tempo, sabe o quanto eu lutei para corrigir meus erros do passado. Espero que a minha história possa servir de inspiração para muitos jovens que também crescem cheios de preconceitos e reacionarismo dentro de si. É possível vencer", continuou.

Relembre abaixo momentos da trajetória da carreira de Felipe Neto.

O início e a trajetória de Felipe Neto

Em seus primeiros vídeos no YouTube, Felipe Neto aparecia de óculos escuros, fazendo críticas a diversos temas em seu canal, que ainda se chamava Não Faz Sentido.

Outro de seus vídeos que viralizou foi o que satirizava a série Vida de Garoto, protagonizada por 'colírios' da revista Capricho, à época. Meses depois, o youtuber foi chamado para uma entrevista no Programa do Jô, apresentado por Jô Soares.

Leonardo Soares / Estadão

Com o tempo, novas oportunidades foram surgindo. Em 2011, Felipe Neto ganhou um quadro no Esporte Espetacular, da Globo, o #FF.

João Cotta / Globo / Divulgação

No mesmo ano, Felipe Neto se empenhou na criação do Parafernalha, canal no YouTube que produzia vídeos semelhantes ao Porta dos Fundos, nos quais também chegou a atuar, além da Paramaker, rede de network na plataforma que acabou sendo vendida a uma multinacional francesa anos depois.

Felipe Neto esteve envolvido em A Toca, primeiro programa brasileiro feito exclusivamente para o serviço de streaming Netflix em 2013.

O youtuber também chegou a fazer sucesso lançando livros, como Não Faz Sentido: Por Trás da Câmera (2013) e Felipe Neto: A Vida por Trás das Câmeras (2018).

Em 2017, por exemplo, o livro Felipe Neto – A Trajetória De um dos Maiores Youtubers do Brasil (Coquetel) foi o mais vendido do Brasil no ano.

VEJA TAMBÉM: Youtubers que lançaram livros - como Felipe Neto

Instagram / @felipeneto | Instagram / @melodyoficial3