Quem é Sônia Guajajara, futura ministra do Povos Indígenas

O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, confirmou nesta quinta-feira que Sônia Guajajara será ministra dos Povos Indígenas. Ao aceitar o convite, a deputada federal disse estar ciente do desafio que tem pela frente.

— Me sinto muito honrada e feliz com essa nomeação. Mais do que uma conquista pessoal, esta é uma conquista coletiva dos povos indígenas do Brasil, um marco na nossa história de luta e resistência. A criação do Ministério dos Povos Indígenas é a confirmação do compromisso que o presidente Lula assume conosco, garantindo a nós autonomia e espaço para tomar decisões sobre nossos territórios, nossos corpos e nossos modos de viver — afirmou.

O nome de Sônia Guajajara era dado como certo para assumir o Ministério dos Povos Indígenas já durante a transição, conforme antecipou O GLOBO, onde atuou como uma das coordenadoras do GT de Povos Originários. Ao GLOBO, Guajajara já havia afirmado que não negaria “de forma alguma” o convite para comandar a pasta.

Deputada federal eleita pelo estado de São Paulo, Guajajara considera a retomada dos processos de demarcação de terras indígenas algo urgente para a próxima gestão, além do fortalecimento da proteção territorial e das políticas de saúde indígena.

— A proteção territorial é urgente. Mesmo as demarcadas têm um processo violento de exploração ilegal, invasão. Há também indícios de que há um risco de descontinuidade dos serviços de saúde. Houve a redução de 60% do orçamento da saúde indígena para o próximo ano — afirmou ao GLOBO.

Sônia Guajajara é formada em letras e enfermagem e é especialista em Educação especial pela Universidade Estadual do Maranhão. Em 2015, recebeu a Ordem do Mérito Cultural e em 2022 foi considerada uma das 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista Time.

Sônia é do povo Guajajara/Tentehar, que habita a Terra Indígena Arariboia, no Maranhão e é uma das lideranças indígenas do país, além de atuar como Coordenadora Executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB).

Em 2018, Guajajara foi candidata a vice-presidente na chapa de Guilherme Boulos (Psol), sendo a primeira candidata de origem indígena à presidência da República. A chapa acabou em 9º lugar na corrida pelo Palácio do Planalto.