Quem é cantor gospel golpista que estava em ato terrorista?

Salomão Vieira incitou e financiou manifestantes bolsonaristas

Cantor gospel é considerado articulador de invasão terrorista - Foto: Reprodução/Redes Sociais
Cantor gospel é considerado articulador de invasão terrorista - Foto: Reprodução/Redes Sociais
  • Cantor gospel articulou invasão terrorista realizada em Brasília no último domingo

  • Salomão Vieira incitou e financiou manifestantes bolsonaristas nas últimas semanas

  • Ele é acusado de aplicar golpes na venda de passagens aéreas em 2019

Apontado como um dos principais articuladores da ação terrorista que invadiu e depredou prédios dos Três Poderes em Brasília, no último domingo (9), o cantor gospel Salomão Vieira de Jesus foi denunciado por golpes financeiros em 2019.

Apoiador declarado do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), Salomão constantemente publicava conteúdo golpista e repleto de fake news em suas redes sociais.

Nos últimos dias, apareceu convocando o que chamava de "patriotas" para os atos de vandalismo protagonizados na capital federal no fim de semana.

Ele próprio postou imagens em que aparecia como responsável por gastos de até R$ 10 mil em itens para manifestantes golpistas que estavam hospedados nos acampamentos bolsonaristas, como cobertores.

Após a repercussão sobre sua ida ao ato terrorista em Brasília, Salomão teve a página no Instagram banida e substituída por uma conta privada. Nela, garantiu que não se envolveu em movimentos violentos durante a ação.

Denúncia em 2019

Em 2019, o cantor evangélico foi acusado de promover golpes financeiros na venda de passagens aéreas, conforme informações da rádio CBN.

Salomão seria responsável por oferecer passagens mais baratas, sob a justificativa de conseguir pagá-las com milhas obtidas pelo uso de cartão de crédito.

Diversos denunciantes, no entanto, afirmaram que nunca receberam as tais passagens adquiridas. À época, um grupo de mais de 70 vítimas estimava um prejuízo de mais de R$ 700 mil.