Quem é o advogado baleado pela própria arma durante exame em SP

Acidente aconteceu quando ele acompanhava a mãe em laboratório

Advogado acabou baleado com o próprio revólver ao entrar armado em uma sala de ressonância magnética. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
Advogado acabou baleado com o próprio revólver ao entrar armado em uma sala de ressonância magnética. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

O advogado Leandro Mathias de Oliveira se tornou notícia nesta quinta-feira (19), após ser baleado com o próprio revólver quando acompanhava a mãe em um exame de ressonância magnética em São Paulo.

O episódio aconteceu na última segunda (16), mas ganhou repercussão apenas após a confirmação do tiro, que deixou o homem de 40 anos em estado grave.

Leandro possui certificado de Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador (CAC) e é reconhecidamente apoiador do porte de armas.

O advogado se estabeleceu também como TikToker, após chegar a sete mil seguidores, sempre compartilhando conteúdo pró-armas e relacionados à Justiça.

O perfil de Leandro no Instagram informa que ele atua na subseção de Cotia, no interior de São Paulo, onde é presidente da comissão de Prerrogativas da OAB da cidade.

Entenda o caso

O disparo que acertou o abdômen de Leandro, aconteceu no Laboratório Cura, na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, no Jardim Paulista, na região central de São Paulo.

A Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) explicou ao portal UOL que o boletim de ocorrência aponta que o advogado acompanhava a mãe no exame de ressonância magnética.

"Quando a máquina do procedimento foi acionada, o magnetismo puxou a arma que estava na cintura de Leandro e disparou, atingindo o homem na região do abdômen", afirmou a secretária.

Ainda de acordo com a SSP, o advogado assinou um documento atestando sobre a contraindicação de campo magnético para os acompanhantes.

Pela numeração, foi constatado que a arma estava registrada e que o advogado tem autorização para o porte.

"O caso foi registrado como disparo de arma de fogo pelo 14º DP (Distrito Policial), que requisitou perícia técnica ao IC (Instituto de Criminalística)," disse a pasta.

Além disso, um inquérito policial foi instaurado pelo 15º DP (Itaim Bibi), responsável pela área dos fatos. "Oitivas e diligências são realizadas para esclarecimento do caso."

Outras manifestações

De acordo com um funcionário do escritório de advocacia de Leandro, o advogado sofreu um "acidente" e está hospitalizado na UTI.

"Ele [Leandro] passou por um procedimento cirúrgico ontem e passará por uma nova cirurgia amanhã cedo, mas ele se encontra na UTI e o quadro clínico é grave."

Já o Hospital São Luiz Itaim informou que "tem por política não divulgar informações clínicas sem autorização do paciente ou familiares".

O Laboratório Cura, ao UOL, lamentou o ocorrido com o disparo acidental e confirmou que apenas a pessoa portadora da arma se feriu.

“Reforçamos que todos os protocolos de prevenção de acidentes foram seguidos pelo time do CURA, como é de praxe em todas as unidades. Tanto a paciente como o acompanhante foram devidamente orientados quanto aos procedimentos para acesso à sala de exame e alertados sobre a retirada de todo e qualquer objeto metálico. Ambos assinaram um termo de ciência com relação a essa orientação.” Laboratório Cura ao UOL.

Ainda de acordo com o espaço, Leandro não informou sobre a arma.

"Mesmo diante dessas orientações, a arma de fogo não foi mencionada pelo acompanhante, que entrou com o objeto na sala de exame por sua decisão."