Quem era Renatinho Bokaloka, morto aos 48 anos e cantor dos sucessos 'Não pedi para me apaixonar' e 'Duas paixões'

Renatinho Bokaloka, que morreu na noite da última quinta-feira devidos a complicações cardíacas de um infarto, era o líder da banda Bokaloca, uma das mais relevantes do pagode carioca nos anos 1990. Formado em 1995, o grupo se chamava, inicialmente, de Água na boca, e Renato Cesar Alves de Oliveira, o Renatinho já comandava os vocais. Sua primeira música de sucesso foi "Mais uma chance", do álbum "Você vai se amarrar", lançado em 1997.

Luana Piovani x Pedro Scooby: divulgação de conversas privadas pode levar à prisão?

Entenda: Jornalista espanhol diz que Shakira fez acordo milionário para calar ex-cunhado

"Apaixonado" e "Shortinho Saint-tropez" foram outras duas músicas muito tocadas do grupo, dessa vez parte do CD "Apaixonados", lançado em 1998. "Que Situação" e "Duas Paixões" vieram em 1999. Em 2002, o grupo lançou um álbum ao vivo e "Não pedi para me apaixonar" estourou.

Renatinho era uma referência para grandes nomes do samba e pagode, como Arlindinho Cruz, Netinho de Paula e Alexandre Pires. O mineiro escreveu: "Te conheci em 1997, no Rio onde dividíamos o mesmo palco, SPC e Água na Boca. Sempre admirei sua trajetória e pessoa. E seu boné continua sendo o que mais uso. Vai com Deus, irmão".

Renatinho passou mal quando estava fazendo um show no bar de Zeca Pagodinho, na Barra da Tijuca, no Rio. No Hospital Lourenço Jorge foi diagnosticado com um princípio de infarto e, no dia seguinte, transferido para o Instituto Nacional de Cardiologia, onde não resistiu.

Leia também: Saiba quem são os tiktokers que terminaram o namoro e se tornaram um dos assuntos mais falados no Brasil

Ele já havia sofrido um infarto em Paris, em maio de 2022, quando a banda estava em turnê na Europa.