'Quem está próximo do MDB é o Bolsonaro e não eu', diz Alcolumbre

Isabella Macedo e Gustavo Maia
 O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), negou que tenha se ligado ao grupo do senador Renan Calheiros (MDB-AL)

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, rechaçou nesta sexta-feira que tenha se ligado ao "grupo" do senador Renan Calheiros (MDB-AL) e disse que o MDB é "imprescindível" em qualquer conversa por ser a maior bancada da Casa. Em seguida, afirmou que, na verdade, quem está próximo do partido é o presidente Jair Bolsonaro.

- Não tô Renan, não - declarou Alcolumbre, em café da manhã com jornalistas na residência oficial. - Eu acho que quem está próximo do MDB é o Bolsonaro e não eu - complementou.

Alcolumbre lembrou que Bolsonaro indicou dois emedebistas para ocupar a liderança do seu governo no Senado e no Congresso, respectivamente os senadores Fernando Bezerra Coelho (PE) e Eduardo Gomes (TO).

- [O Bolsonaro] Escolheu o Eduardo Gomes líder do Governo no Senado, do MDB, e o Fernando Bezerra, líder do governo no Congresso, do MDB. Então as pessoas estão falando errado isso, eram para estar falando do Bolsonaro, não de mim.

Ex-presidente do Senado, Calheiros concorreu a um novo cargo no início do ano, mas foi derrotado por uma articulação em torno do nome de Alcolumbre. O amapaense também fez elogios a Renan, afirmando que ele é “um grande senador”.

- O Renan é um senador da República, um grande senador, está ajudando o Brasil e sempre teve um papel importante no Senado Federal e é do partido da maior bancada. Então o problema é o seguinte, as pessoas têm que entender que o presidente de uma Casa, para conseguir que as coisas aconteçam, ele tem que construir pontes em vez de quebrar - completou o presidente do Senado.