Queniano posta sobre eleições dos EUA nos termos com que americanos tratam pleitos na África

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um jornalista e cartunista queniano fez uma sequência de postagens no Twitter ironizando os problemas da eleição americana neste ano e abordando o tema da mesma maneira que os pleitos nos países da África costumam ser tratados pela imprensa dos EUA. A sequência de mensagens de Patrick Gathara, que já teve quase 30 mil curtidas, fala em um "regime autoritário de Donald Trump", que "tenta consolidar seu poder sobre a nação americana problemática, rica em petróleo e com armas nucleares". "Analistas estão céticos de que a eleição acabe com meses de violência política", escreveu. A publicação fala em um grupo de observadores africanos que condena recentes incidentes de violência e intimidação de opositores, pede que os americanos votem pacificamente e se preparem para aceitar o resultado, além de solicitar à mídia dos EUA que "seja responsável em suas reportagens e tome cuidado para não inflamar a situação, que já é tensa". "A eleição dos EUA ocorre em um momento em que o país está abalado por uma série de desastres humanitários, incluindo uma pandemia que já deixou um quarto de milhão de mortos e levou sua economia à beira do colapso, exacerbando tensões étnicas já conturbadas", continua ele. Os posts mencionam também os sinais de que Donald Trump pode não aceitar o resultado da disputa, a polêmica da supressão de votos e um hipotético temor por parte do Canadá e do México de receber um grande fluxo de refugiados vindos do país vizinho.