Quer parar com café? Prepare-se para 6 sinais de abstinência da cafeína

O café é uma das bebidas mais populares do mundo, e altamente consumida no Brasil. Segundo a Food and Drug Administration (FDA), a agência reguladora americana, equivalente à Anvisa, a quantidade segura de cafeína para adultos por dia é de até 400 mg. Uma xícara de 200 ml de café, por exemplo, tem 90 mg da substância.

Trauma torácico: entenda a lesão de Jeremy Renner, o ator de 'Gavião Arqueiro'

Obesidade: Anvisa aprova injeção para perda de peso

Entretanto, além do café, os brasileiros se dispõem de uma quantidade excessiva de cafeína por dia, em energéticos e refrigerantes que contém a substância e, muitas vezes, decidem parar abruptamente de tomar, por ser algo viciante. Entretanto, especialistas garantem que dar uma pausa extrema e rápida pode ser ainda mais dolorido devido aos sintomas causados.

A nutricionista da Fundação Britânica do Coração, Victoria Taylor, em entrevista ao Daily Mail, disse que “se você está acostumado a beber bebidas com cafeína, cortá-las rapidamente pode causar dores de cabeça, sensação de cansaço e letargia ou dificuldade de concentração". Conheça alguns sintomas e o motivo pelo qual eles ocorrem:

Dores de cabeça

A cafeína contrai os vasos sanguíneos do cérebro e, depois de um tempo, consumindo a bebida diariamente, o sistema nervoso central se acostuma com isso. Ao ficar um tempo sem a bebida, os vasos relaxam e uma quantidade inesperada de sangue é bombeada para o cérebro, causando dor de cabeça.

Segundo os especialistas, os sintomas normalmente começam de 12 a 24 horas depois da interrupção da cafeína e atingem o pico depois de dois dias, porém, o sintoma pode perdurar por mais tempo.

Fadiga

A cafeína se associa a energia. Como um complexo de chave e fechadura, ela se encaixa nos receptores da adenosina, substância química presente no nosso cérebro responsável por fazer a pessoa se sentir sonolento, e a bloqueia. O que consequentemente deixa o consumidor da bebida mais acordado.

Beber álcool corta o efeito do remédio: verdade ou mito?

Estudos garantem que os efeitos da abstinência são ainda maiores em pessoas que bebem café ou chá todos os dias. Isso ocorre porque a cafeína faz com que a química do cérebro mude com o tempo e produza mais receptores de adenosina para acompanhar o suprimento constante de cafeína. O que faz cair o desempenho e rendimento no trabalho, por exemplo.

É um problema cruel que faz com que os bebedores regulares de café desenvolvam uma tolerância à cafeína, aumentando ainda mais a vontade de tirar um soninho durante o dia quando você para de tomá-la.

Mal humor

A bebida aumenta a liberação de um grupo de mensageiros químicos chamados de neurotransmissores, dopamina e norepinefrina que influenciam seu humor e sentimentos, além de aumentar a frequência cardíaca, frequência respiratória e os níveis de glicose no sangue.

Com a ruptura abrupta, esses sinais químicos vão ser enviados de forma mais lenta e consequentemente terá uma queda no humor e nos níveis de energia.

Falta de foco

Um estudo americano publicado na revista Consciousness and Cognition em 2020 sugeriu que a cafeína pode melhorar suas capacidades de resolução de problemas. Isso ocorre porque a cafeína afeta as substâncias químicas do cérebro, incluindo o glutamato, que é vital para o aprendizado e a memória.

Colesterol alto: cardiologista elenca os quatro piores alimentos para o problema

Ao parar de tomá-la. Os hormônios começam a se realinhar e as substâncias químicas que ajudam você a se concentrar começam a ser enviadas em um ritmo mais lento, bem como na questão da fadiga e do mal humor, resultando em uma névoa cerebral que dificilmente deixará você se concentrar nas tarefas.

Náusea e tremores

Tonturas e náuseas também são sintomas característicos de quem para de tomar café, além das conhecidas tremedeiras, visto que a bebida é um estimulante do sistema nervoso central, apesar de ser um pouco mais rara.