'Querem me pintar de louca, desequilibrada', diz ex-companheira do DJ Ivis sobre advogados do produtor

·2 minuto de leitura

A ex-companheira de Iverson de Souza Araújo, Pamella Holanda, utilizou suas redes sociais nesta sexta-feira para fazer um desabafo sobre o comportamento dos advogados do DJ. Segurando o choro durante toda a gravação, a arquiteta afirmou que a defesa de Ivis está tentando “apelar, tirar minha filha de mim”. A estratégia, segundo ela, serviria para fazer com que as pessoas a crucifiquem.

No início do relato, ela revela ter recebido uma ligação de um dos advogados que representa o DJ Ivis, nesta terça-feira. Durante a conversa, o homem teria lido uma carta de autoria do produtor musical, em que ele pede desculpas à ex-companheira e cita também a filha do casal.

— Ele tentou apelar para o meu emocional, falou o quanto tem sido difícil. Falou um pouco da Mel, mas muito pouco. E, no final, ele me pede perdão.

Pamella então afirmou que “sabia que eles iriam fazer isso, porque é mais uma das estratégias da defesa”. De acordo com ela, a tentativa não a sensibilizou, mesmo quando o advogado a questionou sobre o que achava.

— A única coisa que eu disse foi que, de verdade, não queria que tivesse chegado a esse extremo, a minha vida, a vida dele, a vida da Mel. Não vejo ninguém se preocupando, de fato, com ela. Principalmente ele, que é o pai dela. Eu disse que estava todo mundo orando e rezando por ele porque ninguém queria que isso tivesse acontecido. Quando digo ninguém, me incluo 100% nisso — continuou a arquiteta.

Pamella também comentou sobre os áudios vazados de brigas antigas do casal. Segundo ela, o movimento também faz parte da estratégia da defesa do DJ Ivis, que tenta tirá-lo da prisão e já teve dois pedidos de habeas corpus negados.

— Sempre soube que a defesa dele ia adotar essa estratégia de usar os áudios supostamente vazados. Não tem como serem áudios vazados se são gravações feitas do aparelho de telefone pessoal dele, que deve estar em poder de algum deles, creio eu — disse.

— Eles querem me descredibilizar, apelar para isso, para a opinião pública. Querem me pintar de louca, desequilibrada. Sempre soube, então consigo vir aqui com tranquilidade. Não que eu esteja preparada, mas eu tinha noção do que poderia ser usado contra mim. Para me difamar, me injuriar, dizer que sou uma péssima mãe. Vai ser usado tudo o que puder ser usado para o pedido de liberdade dele ser aceito — completou Pamella.

Iverson de Souza Araújo, de 30 anos, é investigado por ter agredido Pamella Hollanda com socos, chutes e pontapés, na frente da filha dos dois, uma bebê de 9 meses. Conhecido como DJ Ivis, ele foi detido pela Polícia Civil na quarta-feira da semana passada, dia 14 de junho.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos