"Queremos reforçar parcerias com o Brasil”, diz diretor do Instituto Pasteur da Guiana Francesa

·1 min de leitura

A pandemia de Covid-19 colocou em evidência um aspecto que nem sempre é conhecido do grande público: a capacidade de interação entre os grandes institutos de pesquisa pelo mundo, que se uniram para combater o novo coronavírus e suas variantes. O Instituto Pasteur, principalmente por meio de sua antena na Guiana Francesa, trabalhou em relação estreita com entidades brasileiras e espera poder intensificar essas parcerias no futuro.

Silvano Mendes, enviado especial a Caiena

Logo que os primeiros casos de Covid-19 foram detectados na Guiana Francesa, em março de 2020, as autoridades da França entenderam que a questão das fronteiras porosas de seu território ultramarino seria um desafio. Vizinha do Suriname ao oeste e do Brasil ao sul, a Guiana Francesa é rodeada pela Floresta Amazônica e lida com um fluxo de migrantes e de moradores transfronteiriços que transitam livremente tanto pelo rio Oiapoque, do lado brasileiro, como pelo rio Maroni do lado surinamês, tornando difícil qualquer tipo de controle.

Mas se as fronteiras representavam um desafio, elas também criaram a oportunidade de aproximar pesquisadores que atuam na região amazônica, independentemente do país no qual estão baseados. O Instituto Pasteur, que tem uma grande unidade em Caiena, foi um dos pilares dessa colaboração, intensificando parcerias já existentes. “A saúde não deve ser compartimentada e a questão das fronteiras é a que menos nos interessa”, lança o diretor geral do Instituto Pasteur da Guiana Francesa, Christophe Peyrefitte.


Leia mais

Leia também:
Para conter avanço da ômicron, França restringe viagens para o Reino Unido
“Temos que proteger as pessoas delas mesmas”: cientista defende vacinação obrigatória contra Covid
França: Instituto Pasteur abandona projeto de vacina contra Covid-19

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos